Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Petróleo importado pela UE atinge no 1.º semestre 81% do valor de 2020

O crude foi o produto energético mais importado pela União Europeia (UE) em 2021, com uma quota de 69,8%, e no primeiro semestre os valores atingiram 81% dos registados em 2020, divulgou hoje o Eurostat.

Petróleo importado pela UE atinge no 1.º semestre 81% do valor de 2020
Notícias ao Minuto

13:44 - 26/10/21 por Lusa

Economia Petróleo

De acordo com o gabinete estatístico europeu, o petróleo bruto (crude) é de longe o principal produto energético importado (69,8% do total das importações de energia da UE em 2021) à frente do gás natural em estado gasoso (19,3%).

Só no primeiro semestre de 2021, a massa líquida de crude já atingiu 57% de todo o ano anterior, tendo os valores das importações de petróleo bruto chegado a 81% dos de 2020.

O valor médio mensal das importações de produtos energéticos na União Europeia (UE), por seu lado, aumentou de 20,1 mil milhões de euros por mês em 2017 para 23,7 mil milhões de euros por mês no primeiro semestre de 2021, tendo em 2020 ficado abaixo do 15 mil milhões de euros.

O volume de produtos energéticos teve o seu valor mais alto no primeiro semestre de 2021 (74,8 milhões de toneladas) e o mais baixo em 2020 (63,2 milhões de toneladas).

Entre janeiro e junho, a quota da Rússia nas importações de petróleo na UE foi de 24,7%, face a 25,5% no acumulado de 2020, valores que quase duplicam para 46,8% e 43,9%, respetivamente, no que respeita ao mercado do gás.

Leia Também: Petróleo Brent sobe acima dos 86 dólares por barril

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório