Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 15º

Edição

Oxford Economics prevê crescimento de 0,3% em Angola este ano

A consultora Oxford Economics Africa considerou hoje que o impacto da pandemia da Covid-19 e o declínio na produção de petróleo vão fazer com que a economia de Angola cresça apenas 0,3% este ano.

Oxford Economics prevê crescimento de 0,3% em Angola este ano
Notícias ao Minuto

15:50 - 23/10/21 por Lusa

Economia Angola

"Prevemos que o Produto Interno Bruto (PIB) de Angola cresça apenas 0,3% este ano, o que compara com uma estimativa de contração de 4% registada em 2020, principalmente devido ao declínio na produção petrolífera e ao impacto das restrições em curso para combater a pandemia", escrevem os analistas.

Num comentário à divulgação dos números do segundo trimestre, enviada aos clientes e a que a Lusa teve acesso, a Oxford Economics Africa salienta que o crescimento de 1,2% de abril a junho deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior "reflete as dificuldades do setor petrolífero, o impacto lento das reformas políticas e o efeito da pandemia da Covid-19".

A economia de Angola registou um crescimento de 1,2% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo de 2022, mas teve uma queda de 2,4% face aos primeiros três meses do ano, segundo dados oficiais.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), colocados no 'site' no princípio do mês, a economia de Angola registou uma expansão de 1,2% de abril a junho deste ano, o que representa o maior crescimento desde o primeiro trimestre de 2019, ainda antes da pandemia de covid-19, quando Angola tinha crescido também 1,2%.

A subida da atividade económica no segundo trimestre deste ano acontece devido ao efeito muito baixo da atividade económica de abril a junho do ano passado, no período mais acentuado da pandemia, altura em que a economia de Angola tinha caído 8,4%, pelo que o resultado de 1,2%, este ano, não compensa a quebra anterior.

A economia angolana registou no ano passado uma contração de 5,4%, que se segue a quatro anos de crescimento negativo impulsionado pela descida do preço do petróleo desde meados de 2016 e, depois, pelos efeitos da pandemia de covid-19.

O Governo de Angola prevê que a economia do país termine o ano com um crescimento nulo, enquanto o Fundo Monetário Internacional reviu em baixa a perspetiva de crescimento, antecipando agora uma recessão de 0,7% em 2021, o sexto ano de queda consecutiva do PIB.

Leia Também: Mundo "precisa de ações concretas" para salvar ambiente

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório