Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

É fundamental que a CP se posicione na alta velocidade, diz Nuno Freitas

O ex-presidente da CP, Nuno Freitas, considerou hoje "fundamental" que a CP - Comboios de Portugal se posicione para entrar na alta velocidade ferroviária e comece já a preparar-se para a assinatura do próximo contrato de serviço público.

É fundamental que a CP se posicione na alta velocidade, diz Nuno Freitas
Notícias ao Minuto

16:50 - 20/10/21 por Lusa

Economia CP

"Em todo o lado as companhias estatais estão na alta velocidade e a concorrência que existe (salvo uma honrosa exceção) é entre companhias estatais de caminho de ferro, com capital público. Portanto, é fundamental para a CP e, também, para o país - pela qualidade que a CP trará para uma operação, mesmo que seja em competição - que a CP entre nesta oportunidade da alta velocidade", afirmou Nuno Freitas.

O ex-presidente da CP falava no parlamento, durante uma audição na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, onde foi, a requerimento do PSD, esclarecer a sua decisão de abandonar o cargo no final do passado mês de setembro, três meses antes do final do mandato.

Segundo Nuno Freitas, antes de sair, a sua administração deixou preparado "um plano estratégico para a CP, que assenta em vários pilares, com alguns objetivos estratégicos".

"Os que me parecem mais importantes são a CP começar a preparar-se, desde já, para a assinatura do próximo contrato de serviço público", avançou, recordando que o atual contrato "termina daqui a 10 anos, mais cinco de opção, mas que é fundamental a CP começar já a preparar-se para a assinatura do próximo".

De acordo com Nuno Freitas, "isso passa por muitas coisas, desde a alteração de cultura, a aquisição de material circulante novo, o saneamento da dívida histórica e tirar a CP do perímetro, porque se a CP não sair do perímetro do Estado não consegue atingir este objetivo".

De acordo com o antigo presidente da transportadora ferroviária, o futuro da CP passa também por "aproveitar a nova geografia ferroviária, [porque] mais ninguém vai fazer isso, dado os tráfegos existentes".

"A nova geografia ferroviária vai mudar completamente com um eixo de alta velocidade Porto-Lisboa. A alta velocidade come distâncias, portanto, será fundamental a CP começar já a pensar em redesenhar a sua oferta para tirar partido da nova geografia ferroviária".

Adicionalmente, acrescentou, "é fundamental que a CP evolua nas plataformas digitais para não ficar fora de algoritmos de escolha de itinerários que possam enviesar as escolhas".

"Há muitas áreas da CP determinantes e que são fonte de vantagem competitiva para a CP poder ser um competidor no mercado liberalizado, que, pelo menos de alta velocidade, eu acredito que vai acontecer", considerou.

No que diz respeito a uma eventual futura fusão entre a Refer (atualmente integrada na Infraestruturas de Portugal - IP) e a CP, Nuno Freitas relembrou que, "na União Europeia, os principais operadores têm a operação junta com a infraestrutura e isto não tem sido impeditivo de que andem comboios de diferentes operadores nessa infraestrutura".

"Isto funciona tudo em integração e não é por acaso. Há razões para isso e a principal para mim é a coordenação de investimentos, que não podem ser feitos só nos comboios, como não podem ser feitos só na infraestrutura, tem que haver uma coordenação tremenda", sustentou.

Nuno Freitas salientou ainda que "os principais blocos económicos e geopolíticos que concorrem com a União Europeia", como o Japão, os EUA, a índia, a Rússia e a China, "têm a sua organização ferroviária completamente integrada", o que "devia ser um ponto de reflexão" e "dá que pensar".

Leia Também: Motoristas e operadores de TVDE pedem fiscalização da lei

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório