Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Brasil e Argentina abordam "modernização" do Mercosul após advertência

Os ministros das Relações Exteriores brasileiro, Carlos França, e argentino, Santiago Cafiero, conversaram na terça-feira sobre a "modernização" do Mercosul após o Brasil ter advertido que divergências desse processo devem resultar em saídas do bloco.

Brasil e Argentina abordam "modernização" do Mercosul após advertência
Notícias ao Minuto

06:41 - 29/09/21 por Lusa

Economia MERCOSUL

Carlos França aproveitou um telefonema que fez a Cafiero para o felicitar pela nova nomeação como ministro argentino para abordar o tema da "modernização" do bloco económico que os dois países compartilham com o Paraguai e o Uruguai, informou o Ministério das Relações Exteriores do Brasil na rede social Twitter.

"O ministro Carlos França manteve hoje [terça-feira] conversa telefónica com o novo Ministro das Relações Exteriores da Argentina, Santiago Cafiero. Ao felicitá-lo pela assunção do cargo, manifestou a disposição de trabalhar em prol dos projetos de interesse comum", indicou a tutela.

Por sua vez, Cafiero afirmou que falou com Carlos França sobre "o potencial de coordenação entre os dois países em matérias de infraestrutura".

"Para a Argentina, preservar a unidade regional é uma política de Estado", acrescentou o governante argentino no Twitter.

A conversa entre os chefes diplomáticos das duas maiores potências do Mercosul aconteceu um dia após o ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes, ter afirmado que o bloco económico necessita de ser "modernizado" e advertiu que se algum dos seus membros se sentir "incomodado" com isso, que "se retire".

"O Mercosul vai modernizar-se e quem estiver incomodado que se retire", disse Paulo Guedes no encontro virtual "O Brasil Quer Mais", organizado pela Câmara de Comércio Internacional.

A modernização a que o ministro aludiu passa por uma possível redução da tarifa externa comum (TEC) do Mercosul e por permitir aos estados-membros negociar acordos com outros países ou plataformas de integração de forma individual e não conjunta, como até agora impõe o regulamento interno do bloco.

Ambas as propostas são fortemente defendidas pelo Brasil e Uruguai, enquanto o Paraguai as apoia parcialmente e a Argentina se opõe de forma frontal.

O Governo argentino defende reduções tarifárias mais moderadas e pontuais para não prejudicar a competitividade dos seus produtores frente às importações de outros mercados.

Apesar da posição da Argentina, a "nossa posição é a de avançar", disse Guedes no encontro virtual com empresários.

"Não vamos sair do Mercosul, mas também não vamos aceitar o Mercosul como instrumento de ideologia", acrescentou o ministro do Governo de Jair Bolsonaro, que mantém uma linha crítica contra o chefe de Estado argentino, Alberto Fernández, a quem classifica como "socialista".

Cafiero, que até agora ocupava o cargo de chefe do gabinete de Fernández, assumiu a liderança da diplocia argentina no âmbito de uma reforma ministerial promovida pelo chefe de Estado após uma crise política iniciada com a derrota da maioria governamental nas eleições primárias, no domingo, que resultou em conflito com a vice-presidente, Cristina Kirchner.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório