Meteorologia

  • 28 OUTUBRO 2021
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

Economia alemã mantém recuperação no verão

O Bundesbank considera que a economia alemã continuou a recuperar no verão, apesar dos estrangulamentos no fornecimento de alguns produtos e graças a um forte crescimento do consumo privado e dos serviços.

Economia alemã mantém recuperação no verão
Notícias ao Minuto

12:31 - 27/09/21 por Lusa

Economia Bundesbank

No boletim mensal de setembro, hoje publicado, os economistas do banco central alemão afirmam que "a economia alemã manteve no verão de 2021 a recuperação que começou na primavera, mas a um ritmo mais rápido".

"Globalmente, a economia poderia crescer no terceiro trimestre mais fortemente do que na primavera", quando cresceu 1,6% no primeiro trimestre em termos homólogos, de acordo com o Bundesbank.

Contudo, a economia alemã ainda não conseguiu atingir o nível pré-pandemia do quarto trimestre de 2019, devido a dificuldades na indústria do lado da oferta.

Os estrangulamentos na oferta estão a atrasar a produção industrial, que está atrasada em relação à forte procura, embora esta tenha aumentado em julho pela primeira vez em quatro meses.

As encomendas industriais recebidas aumentaram 5,25% em julho face ao trimestre da primavera, especialmente as de grande dimensão.

A produção industrial alemã está 3,5% abaixo do nível anterior à pandemia.

O Bundesbank destaca igualmente a forte recuperação do mercado de trabalho desde junho, uma vez que os "lay-off" (redução temporária dos períodos normais de trabalho ou suspensão dos contratos de trabalho efetuada por iniciativa das empresas) estão reduzidos a 5% dos trabalhadores obrigados a pagar contribuições para a segurança social, o que constitui o nível mais baixo desde o início da pandemia.

Os economistas do Bundesbank também esperam que a taxa de desemprego, que era de 5,5% em agosto, caia acentuadamente durante os próximos três meses.

Também esperam que a inflação atinja temporariamente taxas entre 4% e 5% a partir de setembro até ao final do ano, porque o IVA tinha sido reduzido no ano passado para impulsionar o consumo e foi agora novamente aumentado.

A partir do início de 2022, porém, a inflação voltará a cair significativamente, embora se mantenha acima dos 2% até meados do próximo ano.

Leia Também: UE mobiliza 95 milhões para garantir testes para viagens em 20 países

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório