Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
21º
MIN 17º MÁX 27º

Edição

Exportações, importações e reexportações voltam a aumentar em Cabo Verde

As exportações, importações e reexportações em Cabo Verde aumentaram no segundo trimestre do ano, face ao período homólogo, e depois de diminuições generalizadas no primeiro trimestre, segundo dados publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Exportações, importações e reexportações voltam a aumentar em Cabo Verde
Notícias ao Minuto

14:40 - 30/07/21 por Lusa

Economia INE

De acordo com os dados provisórios do comércio externo, no segundo trimestre de 2021, as exportações tiveram um aumento de 44,3%, relativamente ao mesmo período de 2020.

Nesse período, as exportações de Cabo Verde totalizaram 1.293 mil milhões de escudos (11,7 mil milhões de euros), correspondendo a um aumento de 396 mil milhões de escudos (3,5 mil milhões de euros).

Entre os produtos exportados por Cabo Verde, os preparados e conservas lideram (71,3%), seguidos pelos vestuários (7,4%), e os peixes crustáceos e moluscos na terceira posição (6,8%), diminuindo 17,3 pontos percentuais em relação ao registado no mesmo período do ano anterior.

Segundo o INE, estes três produtos representaram, no segundo trimestre deste ano, 85,5% do total das exportações de Cabo Verde, mesmo diminuindo 0,9 pontos percentuais comparativamente ao registado no mesmo trimestre de 2020.

Os dados do comércio externo do INE indicam que Espanha lidera a tabela dos principais clientes de Cabo Verde na zona económica europeia, representando 70% nos segundos três meses do ano, num aumento de 7,6 pontos percentuais, face ao trimestre homólogo.

Portugal ocupa o segundo lugar na estrutura das exportações cabo-verdiana (14,4%), aumentando 2,0 pontos percentuais, com os Estados Unidos no terceiro lugar (8,8%) e a Itália (4,5%).

No período em análise, as importações de Cabo Verde aumentaram 25,9% face ao segundo trimestre de 2020, com o continente europeu a continuar a ser o principal fornecedor de produtos ao arquipélago (66,9%), contra 73,5% do mesmo período do ano passado.

Seguem-se a Ásia/Oceânia (18,3%), a América (9,8%), o Resto do Mundo (2,8%) e a África (2,1%).

Relativamente aos países, Portugal ocupa o primeiro lugar, com um peso de 43,4%, e China o segundo lugar, com 10,4%, seguida da Espanha, com 6,9%, e Países Baixos, com 4,9%.

No segundo trimestre do ano, os principais produtos importados por Cabo Verde foram os combustíveis (11,8%), reatores e caldeira (8,8%), veículos automóveis (6,9%) e ferro e suas obras (6,0%).

No período em estudo, o INE concluiu ainda que as reexportações aumentaram 76,6%, comparativamente ao mesmo período de 2020, o défice da balança comercial aumentou 24,7% e a taxa de cobertura aumentou em 0,9 pontos percentuais.

No primeiro trimestre deste ano, as exportações, importações e reexportações em Cabo Verde diminuíram respetivamente 36,8%, 11,6% e 40,4%, comparativamente ao mesmo período de 2020.

Leia Também: Cabo Verde diz que anterior administração da TACV não cumpriu acordo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório