Meteorologia

  • 15 JUNHO 2021
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 34º

Edição

Christine Lagarde: "Estamos mais otimistas do que há três meses"

BCE espera agora que a economia da zona euro cresça 4,6% este ano, mais seis décimas do que os 4% previstos em março.

Christine Lagarde: "Estamos mais otimistas do que há três meses"

Otimismo, mas com cautela. Esta parece ser a lógica que está a ser seguida pelo Banco Central Europeu (BCE) que espera agora que a economia da zona euro cresça 4,6% este ano, mais seis décimas do que os 4% previstos em março. 

"Somos mais otimistas nas nossas projeções do que há três meses", disse a presidente do BCE, Christine Lagarde, em conferência de imprensa, citada pelo El País

Lagarde acrescentou que o BCE espera um crescimento de 4,7% em 2022 (4,1% previsto em março) e de 2,1% em 2023 (inalterado desde março).

O BCE também prevê uma inflação de 1,9% em 2021 (previsão de 1,5% em março), 1,5% em 2022 (previsão de 1,2% em março) e 1,4% em 2023 (previsão de 1,4% em março).

Por conseguinte, o Conselho do BCE espera que "a atividade económica acelere no segundo semestre do ano à medida que as medidas de contenção sejam levantadas".

A presidente do BCE afirmou que "depois da contração no primeiro trimestre do ano, a economia da zona euro está a reabrir gradualmente à medida que a pandemia melhora e as campanhas de vacinação fazem progressos significativos".

"Os dados mais recentes apontam para uma recuperação da atividade de serviços e um dinamismo contínuo na produção industrial", acrescentou Lagarde.

A recuperação do consumo, a forte procura global e políticas orçamentais e monetárias expansionistas serão cruciais para a recuperação, de acordo com a presidente do BCE.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório