Meteorologia

  • 01 AGOSTO 2021
Tempo
23º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

Escolha de Ricardo Paes Mamede para TAP é "agregadora"

Os sindicatos que apontaram Ricardo Paes Mamede como representante dos trabalhadores na administração da TAP defenderam hoje que a escolha pode causar "perplexidade", mas vincaram que esta é uma candidatura agregadora.

Escolha de Ricardo Paes Mamede para TAP é "agregadora"
Notícias ao Minuto

14:34 - 27/05/21 por Lusa

Economia TAP

"Em nome da convivência sã entre todos os setores da companhia e após ponderada reflexão decidimos avançar com este convite externo. Estamos cientes de que a decisão pode causar perplexidade e dúvida aos trabalhadores", afirmou o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava), José Sousa, na apresentação da candidatura de Ricardo Paes Mamede como representante dos trabalhadores para o Conselho de Administração da TAP.

Na abertura da sessão, o sindicalista defendeu que Ricardo Paes Mamede é a "pessoa certa" para acompanhar o plano de reestruturação da companhia aérea, vincando que esta candidatura é abrangente e "agregadora de todas as sensibilidades".

Para o responsável da estrutura sindical "esta não é uma candidatura de um setor da empresa contra outros" ou de uma categoria profissional em detrimento de outras, mas uma "verdadeira candidatura de unidade".

Questionado pelos jornalistas, José Sousa notou que esta proposta "é política porque tudo é política", mas não partidária, tendo em conta que "os sindicatos são apartidários".

O secretário-geral do Sitava assegurou também que, com esta candidatura, nenhum trabalhador "se sentirá constrangido a votar num candidato doutro setor ou de outro grupo profissional", notando que os sindicatos estão convictos de que esta será uma proposta "ganhadora" e que representará os compromissos assumidos.

Por sua vez, o presidente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Viação Civil (SNPVAC), Henrique Louro Martins, congratulou-se por ter sido possível juntar à mesa "alguns dos sindicatos da TAP cujo objetivo é unir esforços", acrescentando que a candidatura hoje apresentada permite que os trabalhadores se sintam "identificados e protegidos", nomeadamente, após "um ano terrível na história da TAP".

Henrique Louro Martins referiu ainda ser importante refletir "sobre esta oportunidade", referindo-se à representação dos trabalhadores na Administração da transportadora aérea, vincando ser uma obrigação "aproveitá-la da melhor maneira a conseguir tirar uma mais valia para os trabalhadores".

Já Pedro Magalhães do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes de Portugal (STAMP) disse que este é "um desafio que se prevê complicado", ressalvando não ser "tempo para amadorismos".

Neste sentido, o sindicalista destacou o currículo de Ricardo Paes Mamede, mostrando-se "esperançoso no sucesso da sua missão".

João Varzielas do Sindicato dos Trabalhadores dos Aeroportos, Manutenção e Aviação (STAMA), por seu turno, agradeceu a disponibilidade do candidato, sublinhando que, ao ser um elemento externo à empresa, "limpa toda a rivalidade que existe e continuará a existir dentro do universo dos trabalhadores".

Para o STAMA, este processo não pode incluir ninguém que "seja alimentado pelas rivalidades interprofissionais"

A Lusa já tinha noticiado que alguns sindicatos da TAP escolheram o professor universitário Ricardo Paes Mamede para representar os trabalhadores no Conselho de Administração da empresa, depois de o Governo ter lançado esta iniciativa.

Entre os sindicatos signatários desta candidatura contam-se o Sitava (Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos) e o SNPVAC (Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil), entre outros não referidos nos documentos a que a Lusa teve acesso, mas a iniciativa não conseguiu unanimidade.

Numa mensagem interna do SNPVAC, o sindicato adiantou que "na sequência da apresentação desta iniciativa, no dia 20 de maio, pelo Ministério das Infraestruturas e Habitação, as ORT's [órgãos representativos dos trabalhadores] encetaram conversações a fim de aferir da possibilidade de apresentar um nome consensual", acrescentando que, para a entidade, "é fundamental que esse representante seja alguém de elevada reputação pública e que seja uma garantia da defesa dos interesses dos trabalhadores".

O escolhido é professor associado do Departamento de Economia Política do ISCTE -- Instituto Universitário de Lisboa, onde leciona desde 1999 nas áreas da Economia e Integração Europeia, da Economia Setorial e da Inovação, e das Políticas Económicas.

De acordo com o regulamento para estas eleições de escolha de um representante dos trabalhadores para o Conselho de Administração da TAP, a validação das candidaturas apresentadas será efetuada pelo representante do Ministério das Infraestruturas e pelo Secretário da Sociedade TAP SGPS, e o fecho do lote de candidatos, ocorrerá no dia 28 de maio de 2021. Depois, os candidatos apurados "beneficiarão de um período de cinco dias (de 29 de maio a 02 de junho) para apresentação das suas candidaturas aos trabalhadores da TAP", sendo que a eleição decorre a 03 de junho na intranet da empresa.

Os resultados serão conhecidos em 04 de junho e "o candidato mais votado será indicado pela República Portuguesa como administrador não executivo da TAP SGPS e proposto para eleição na assembleia-geral da TAP SGPS que designará os órgãos sociais para o próximo mandato que se inicia em 2021".

Leia Também: Adiantamentos da TAP à Groundforce saldados segunda-feira

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório