Meteorologia

  • 19 JULHO 2024
Tempo
29º
MIN 19º MÁX 32º

Dinheiro em circulação em Cabo Verde aumentou mais de 11% em 2020

Cabo Verde aumentou em mais de 11% o dinheiro em circulação durante o ano de 2020, equivalente a mais 1.134 milhões de escudos (10,2 milhões de euros), de acordo com dados do banco central compilados hoje pela Lusa.

Dinheiro em circulação em Cabo Verde aumentou mais de 11% em 2020
Notícias ao Minuto

11:32 - 17/03/21 por Lusa

Economia Cabo Verde

Segundo um relatório mensal do Banco de Cabo Verde, o dinheiro em circulação no país no final de dezembro de 2019 ascendia a 9.980,3 milhões de escudos (90,1 milhões de euros), valor que aumentou para um recorde de 11.114,7 milhões de escudos (100,3 milhões de euros) no final de 2020.

A colocação de dinheiro em circulação acelerou sobretudo em abril, o primeiro mês após a pandemia de covid-19 chegar a Cabo Verde, com o país a entrar em estado de emergência até maio.

O banco central não aponta no relatório explicações para esta variação no dinheiro em circulação no país, mas trata-se de uma medida habitualmente associada a políticas monetárias expansionistas, de aumento da oferta de moeda, com influência no aumento da inflação.

Os últimos meses foram marcados pelos condicionalismos impostos à atividade económica também em Cabo Verde, devido à pandemia de covid-19, com o encerramento de empresas e o confinamento da população.

Depois de uma taxa de inflação de 1,1% em 2019, os preços em Cabo Verde aumentaram apenas 0,6% em 2020, com vários meses de variação nula ou queda de preços, contra a previsão do Governo, superior a 1%.

No final de 2019, as notas representavam 94,35% do dinheiro em circulação física em Cabo Verde, enquanto o peso das moedas era de 5,65%, segundo dados do BCV.

Enquanto autoridade monetária e banco emissor, o Banco de Cabo Verde tem como função emitir e colocar em circulação notas e moedas metálicas do escudo cabo-verdiano, com curso legal e poder liberatório, incluindo as comemorativas.

Só com a emissão da nova família de notas de escudo cabo-verdiano e destruição das antigas (200 e 2.000 escudos), o banco central gastou 40,4 milhões de escudos (cerca de 366 mil euros) em 2019, um aumento de 7,3% face a 2018.

O BCV refere no relatório e contas de 2019 que, em termos de fluxos, foram emitidas e colocadas em circulação naquele ano 6,7 milhões de notas, no valor de 7.163 milhões de escudos (65 milhões de euros). Deste total, as denominações de 1.000 e 2.000 escudos representaram, em conjunto, 68,7% do volume emitido e 87,9% do valor da emissão.

Leia Também: Agências de viagens de Cabo Verde preocupadas com falta de voos

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório