Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
24º
MIN 14º MÁX 25º

Em confinamento, mais de metade das compras são em alimentação e farmácia

Setores dos supermercados, pequenas distribuição alimentar e farmácias foram responsáveis por 61% das transações entre 15 de janeiro a 28 de fevereiro, segundo a SIBS.

Em confinamento, mais de metade das compras são em alimentação e farmácia
Notícias ao Minuto

10:09 - 05/03/21 por Notícias ao Minuto

Economia despesas

Com o país em confinamento, mais de metade das compras dos portugueses correspondem a produtos alimentares e de farmácia. De acordo com dados divulgados pela SIBS, esta sexta-feira, os setores dos supermercados, pequenas distribuição alimentar e farmácias foram responsáveis por 61% das transações entre 15 de janeiro a 28 de fevereiro.

No primeiro confinamento, há um ano, esta taxa tinha sido de 67%, um valor próximo do atual. Os números deste confinamento que começou em janeiro significam um crescimento de 14 pontos percentuais face aos meses de novembro, dezembro de 2020 e primeira quinzena de janeiro.

No mesmo período, verificou-se um aumento de 46% das compras online, em comparação com o mesmo período do ano passado. "O e-commerce representa já 18% do total de compras eletrónicas, valor que praticamente duplicou face ao período pré-pandemia", revela a SIBS.

Relativamente ao consumo em loja, registou-se uma queda de 31% nas compras na Rede Multibanco neste segundo confinamento face ao mesmo período de 2020, valores ainda assim longe dos verificados de março a maio do ano passado, em que as compras físicas chegaram a cair 47%.

A SIBS sublinha ainda que a utilização do MB Way nas lojas físicas tem sido "muito significativa", com as transações através da app a crescerem 2,9x no último mês e meio, face ao mesmo período de 2020.

Leia Também: Compras físicas na rede Multibanco descem 34% com confinamento

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório