Meteorologia

  • 20 ABRIL 2021
Tempo
19º
MIN 14º MÁX 20º

Edição

FESAP quer repercussões nos salários e carreiras da função pública

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) defendeu hoje que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), apresentado em fevereiro pelo Governo tem de ter consequências práticas nos salários, carreiras e sistema de avaliação da Administração Pública.

FESAP quer repercussões nos salários e carreiras da função pública
Notícias ao Minuto

19:27 - 03/03/21 por Lusa

Economia FESAP

"Todos falam na renovação e modernização da Administração Pública, da digitalização dos seus serviços, mas é preciso que isso tenha consequências práticas nos salários, nas carreiras e na avaliação dos trabalhadores e que tudo seja negociado com os sindicatos do setor", disse à agência Lusa o secretário geral da FESAP, José Abraão.

A FESAP emitiu hoje uma nota de imprensa relativa à análise feita ao PRR apresentado pelo Governo, no que à Administração Pública diz respeito.

"A FESAP valoriza o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), apresentado em fevereiro pelo Governo. Mas apesar de alguns princípios e objetivos estarem em linha com o que é defendido pela Federação, peca por falta de profundidade e ambição, não apresentando uma política estratégica e plurianual para os recursos humanos da Administração Pública no que diz respeito aos salários, às carreiras, ao sistema de avaliação e ao combate ao emprego precário", afirmou a federação no comunicado.

Para a estrutura sindical da UGT será "um erro enveredar por qualquer plano que não passe pelo investimento naquelas questões fundamentais para os trabalhadores".

"É necessário que o Governo passe das palavras aos atos e, ao invés de multiplicar os anúncios de medidas de grande relevo para a vida dos trabalhadores através da comunicação social, gerando expectativas e instabilidade, convoque as organizações sindicais para a mesa das negociações, algo que (...) ainda não aconteceu", considerou.

Segundo a FESAP, não é suficiente investir na transição digital e na qualificação dos trabalhadores para aumentar a qualidade dos serviços prestados e a motivação dos trabalhadores.

"O PRR continua a não eleger como prioridade o abandono de uma política de rendimentos assente nos baixos salários, nivelados por baixo, e que, paulatinamente destrói e empobrece a classe média em geral e, muito em particular, a maioria dos trabalhadores da Administração Pública, não se verificando assim, uma vontade clara do Governo em combater a pobreza e as desigualdades", criticou a federação.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório