Meteorologia

  • 18 ABRIL 2021
Tempo
22º
MIN 11º MÁX 24º

Edição

Moratórias "não duram para sempre". DECO apresenta algumas soluções

Para aliviar o impacto do fim das moratórias, a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) apresenta algumas soluções. Conheça-as aqui.

Moratórias "não duram para sempre". DECO apresenta algumas soluções
Notícias ao Minuto

07:30 - 27/02/21 por Notícias ao Minuto 

Economia moratórias

As moratórias bancárias são um 'colete salva-vidas' para muitos que perderam rendimentos por causa da pandemia, mas a verdade é que não duram para sempre. Para aliviar o impacto do fim das moratórias, a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) apresenta algumas soluções.

Antes de mais, importa sublinhar que a moratória "não constitui um perdão de dívida, apenas adia o cumprimento das obrigações". Ou seja, "o crédito continua a existir e o pagamento é prolongado no tempo por igual período ao da suspensão. No final, significam pagar mais juros".

Tendo presente que as "moratórias não duram para sempre", a DECO aponta algumas soluções:

Renegociar com o banco

"Se a moratória está a terminar, sofreu uma redução do rendimento ou está desempregado, e os encargos com os créditos ultrapassam 35% do orçamento familiar, o melhor é agir. E quando mais cedo, melhor. Comece por conferir as condições do seu crédito à habitação", recomenda a DECO.

  • Baixar taxa de juro -"Se tiver um spread acima de 2%, é altura de contactar o banco e renegociar este valor";
  • Alargar prazo do empréstimo - "Mais tempo para amortizar o crédito significa uma prestação mensal mais reduzida, mas um aumento da fatura final dos juros a pagar";
  • Carência de capital - "Um período de carência permite deixar de pagar o capital, continuando a suportar apenas os juros sobre o montante em dívida";
  • Adiar o reembolso de capital - "Remeter o reembolso de uma parte do capital (por exemplo 10%) para a última prestação do empréstimo é outra solução para reduzir de forma significativa as prestações atuais, uma vez que uma parcela do capital não está a ser reembolsada";
  • Diminuir prémio dos seguros - "Renegociar o prémio dos seguros associados ao crédito à habitação é uma boa forma de poupar algum dinheiro todos os meses. Ao comparar várias propostas de seguradoras, certifique-se de que, ao reduzir o prémio, não vai perder coberturas ou reduzir o valor de uma eventual indemnização";

Transferir o crédito

"Se o seu banco não fizer o mínimo esforço para continuar a relação comercial consigo, nem que seja só baixar as anuidades de cartões de débito e de crédito e as comissões de manutenção de conta, pondere transferir o crédito para outra instituição", recomenda a DECO.

Porém, tenha em conta os eventuais custos associados a esta transferência. "Certifique-se de que o banco para onde vai transferir o contrato assume estas despesas, pelo menos parcialmente", recomenda a associação. A DECO tem um simulador para as várias propostas de crédito que pode ser uma ferramenta útil.

Recorrer ao PARI e ao PERSI

Se acha que não vai conseguir pagar as prestações, saiba que tem ao seu dispor dos instrumentos de proteção:o PARI (plano de ação para o risco de incumprimento) e o PERSI (procedimento extrajudicial de regularização de situações de incumprimento).

A DECO recomenda o recurso a estes instrumentos para "forçar a instituição de crédito a encontrar uma solução, por forma a tentar ultrapassar as dificuldades criadas por esta crise".

Leia Também: Necessidades de financiamento e dívidas dos Estados continuam "em alta"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório