Meteorologia

  • 01 MARçO 2021
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

Consórcio quer digitalizar setores agrícola e agroalimentar em Portugal

Um consórcio com 11 entidades, como a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), quer criar um polo de inovação digital para os setores agrícola e agroalimentar, tendo em vista a aplicação de soluções em ambiente empresarial, foi anunciado.

Consórcio quer digitalizar setores agrícola e agroalimentar em Portugal
Notícias ao Minuto

14:17 - 09/02/21 por Lusa

Economia Consórcio

"Um consórcio de 11 entidades submeteu uma candidatura à Rede de Polos de Inovação Digital -- da responsabilidade da Portugal Digital, Direção-Geral das Atividades Económicas, IAPMEI [Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação] e ANI [Agência Nacional de Inovação] -- para a criação de um polo de inovação digital em Portugal, designado FARM2FORK_DIH", anunciou, em comunicado, a CAP, que lidera este processo.

Este consórcio, "que pretende ser um ecossistema de inovação dirigido aos setores agrícola e agroalimentar portugueses", quer desenvolver e testar soluções, tendo por base tecnologia digital, para a sua aplicação em ambiente empresarial e consequente impacto em toda a cadeia produtiva.

Além da CAP, integram este consórcio a Federação das Indústrias Portuguesas Agroalimentares (FIPA), Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), COTEC -- Associação Empresarial para a Inovação, PortugalFoods, Colab4Food, Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL), AROMNI, Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), Beta-i e AgrogrinTech, em parceria com a Portugal Ventures.

Este projeto pretende atuar em toda a cadeia de valor agroalimentar, da produção agrícola à indústria alimentar e distribuição, possibilitando a "necessária digitalização", permitindo às empresas uma atividade mais eficiente, sustentável e adequada aos desafios.

Segundo a CAP, o FARM2FORK_DIH vai, entre outras atividades, apoiar empresas na procura de investimento para a digitalização e capacitar os recursos humanos.

"O polo funcionará como ponto de encontro de fornecedores e potenciais clientes-utilizadores dos setores agrícola e agroalimentar que, beneficiando da digitalização da cadeia de valor, poderão colaborar no desenvolvimento de novas soluções úteis e concretas que respondem a necessidades reais das empresas", afirmou, citado em comunicado, o secretário-geral da CAP.

Para Luís Mira, a abordagem integrada do consórcio é "diferenciadora, meritória e transformadora", acreditando assim que este vai obter o respetivo apoio e financiamento.

Leia Também: Governo mantém meta dos mil milhões de exportações de vinho até 2023

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório