Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2020
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 25º

Edição

Pessoas com emprego regularizado "podem ter apoio" durante isolamento

As pessoas com contrato de trabalho que tenham que ficar em isolamento por terem contactado com doentes com covid-19 terão um certificado que lhes garante apoio da Segurança Social, assegurou hoje o novo subdiretor-geral da Saúde.

Pessoas com emprego regularizado "podem ter apoio" durante isolamento

Na conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia, Rui Portugal afirmou que "tendo as pessoas uma situação regularizada em termos de emprego, é emitido um certificado de isolamento profilático pela autoridade de saúde que lhes garante, em relação à Segurança Social, uma cobertura".

O responsável frisou que as pessoas que "vivem da economia informal" dependem dos municípios, a quem reconheceu o esforço que têm feito para "reter em isolamento" essas pessoas, "garantindo-lhes alimentação e algum rendimento base para pagar contas e o mínimo para um determinado bem-estar".

É o que tem acontecido, por exemplo, nas autarquias da Área Metropolitana de Lisboa, onde se tem verificado a maioria dos novos casos nas últimas semanas, destacou.

O subdiretor-geral de Saúde frisou que o isolamento é "o instrumento mais forte" no combate à pandemia e que é possível "porque há uma solidariedade dos portugueses através da segurança social", mas admitiu que o processo ainda é demasiado burocrático.

"Exige algum procedimento administrativo e burocrático, que tenderá a aliviar-se assim que consigamos automatizar alguns dos procedimentos que têm que ser feitos", referiu.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 689 mil mortos e infetou mais de 18,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.738 pessoas das 51.569 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório