Meteorologia

  • 11 AGOSTO 2020
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 27º

Edição

Retoma na restauração? "As coisas estão a evoluir, lentamente"

O primeiro ministro, António Costa, considerou hoje que a retoma económica na restauração está "a evoluir", embora "lentamente", na sequência da pandemia de covid-19, sublinhando que é preciso "prosseguir" o trabalho que está a ser desenvolvido.

Retoma na restauração? "As coisas estão a evoluir, lentamente"
Notícias ao Minuto

17:09 - 01/07/20 por Lusa

Economia Covid-19

O chefe do Governo, que falava aos jornalistas após ter dado "um abraço" e tomado um café com o comendador e fundador da Delta Cafés, Rui Nabeiro, em Campo Maior, no distrito de Portalegre, considerou que aquela empresa é um "excelente ponto de observação", um "barómetro", para saber como está a decorrer a retoma económica.

"Aqui é um excelente ponto de observação de como é que as coisas estão a correr do ponto de vista da retoma, visto que a Delta é uma marca muito presente e um bom indicador como as coisas estão a evoluir, lentamente", disse.

"É preciso prosseguir. Como sabemos, a restauração tem vido a retomar devagar e este é um produto que se consome basicamente na restauração e não é o aumento do consumo doméstico que compensa", acrescentou.

O primeiro ministro, que se reuniu com o empresário no Centro de Ciências do Café, considerou ainda que a reabertura das fronteiras com Espanha "vai ser muito importante" para todo o país e em particular para as regiões que têm uma relação "mais intensa" com Espanha, como é o caso do Alto Alentejo ou do Alto Minho.

O Centro de Ciências do Café reabriu também hoje ao público após mais de dois meses e meio encerrado devido à pandemia, situação que deixou satisfeito o comendador Rui Nabeiro.

Em declarações aos jornalistas, o empresário relatou que nos últimos três meses e meio o mundo viveu uma "história de vida que ninguém sabe explicar", mas considerou que as pessoas conseguiram "adaptar" à situação.

Rui Nabeiro explicou que a Delta Café foi uma das empresas que não recorreu ao `lay-off` na sequência da pandemia, uma vez que "havia condições" para manter as mesmas condições laborais para os cerca de quatro mil trabalhadores.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório