Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2019
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 19º

Edição

Segurança Social sem dinheiro para pagar reformas e subsídios daqui a sete anos

As projecções de sustentabilidade da Segurança Social diminuíram 20 anos em dois anos, prevendo agora o Governo que a ruptura do sistema possa chegar já daqui a sete anos, avança esta terça-feira o jornal i.

Segurança Social sem dinheiro para pagar reformas e subsídios daqui a sete anos

No Orçamento do Estado de 2011, o Governo de Sócrates previa que os saldos da Segurança Social se mantivessem positivos até meados da década de 30. Mas o novo Executivo vem agora avisar que a ruptura pode chegar já em 2020, conta hoje o jornal i.

A partir daí todas as prestações actualmente pagas por este sistema previdencial passam a ser suportadas pelo Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS), que não está em melhor situação.

As previsões do Governo referem ainda que o FEFSS só aguentará até 2024 com novas medidas extraordinárias no caso de a rendibilidade ser de 2% a longo prazo, e até 2044, se a rendibilidade subir para 3,5%, acrescenta o i.

A juntar a tudo isto, o Orçamento do Estado para o próximo ano não prevê, em consequência do impacto da crise na situação financeira da Segurança Social, a transferência de quotizações dos trabalhadores para reforçar o FEFSS.

O i explica que a contribuir para esta situação está principalmente a diminuição das contribuições e quotizações dos trabalhadores e das empresas (pelo lado da receita), as prestações de desemprego, que excederam largamente os valores projectados (pelo lado da despesa), o envelhecimento da população e a diminuição do número de filhos por casal.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório