Meteorologia

  • 29 SETEMBRO 2020
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 29º

Edição

Ferrovial/ACA apresentou melhores propostas para Metro do Porto

O consórcio Ferrovial/ACA foi o que apresentou as melhores propostas para a construção da linha Rosa e prolongamento da Amarela do Metro do Porto, devendo "proceder-se à adjudicação [das empreitadas] em breve", revelou hoje fonte da empresa.

Ferrovial/ACA apresentou melhores propostas para Metro do Porto

A mesma fonte disse que o conselho de administração da Metro recebeu o relatório preliminar dos júris dos dois concursos, sendo este consórcio aquele que apresentou as melhores propostas.

"Para a construção da Linha Circular (Linha Rosa), Aliados/Praça da Liberdade -- Casa da Música/Boavista -- [no Porto], a melhor proposta é a do consórcio Ferrovial/ACA, no valor de 189 milhões de euros. Para o prolongamento da Linha Amarela entre Santo Ovídio e Vila d'Este [em Vila Nova de Gaia] foi também o consórcio formado pela Ferrovial e pela ACA a apresentar a proposta com a melhor avaliação, tendo o valor de 98,9 milhões de euros", refere a Metro do Porto.

Em 26 de maio, a empresa revelou que a construção das linhas Rosa e prolongamento da Amarela do Metro do Porto teve 15 propostas no concurso público de 365 milhões de euros.

Agora, está "tudo a postos para que, após o cumprimento de todos os formalismos e prazos legais, possa em breve proceder-se à adjudicação de ambas as empreitadas e que as obras arranquem no segundo semestre deste ano", acrescenta a Metro do Porto.

Em causa estão mais seis quilómetros e sete novas estações, no Porto e em Vila Nova de Gaia.

Os valores de referência para o investimento da expansão da rede do Metro eram de 235 milhões de euros para a Linha Rosa e de 130 milhões de euros para o prolongamento da Linha Amarela, "pelo que os valores das propostas vencedoras de cada um dos concursos representam poupanças substanciais".

A nova Linha Rosa (Circular) do Metro do Porto integrará quatro estações e cerca de três quilómetros de via, ligando S. Bento/Praça da Liberdade à Casa da Música, servindo o Hospital de Santo António, o Pavilhão Rosa Mota, o Centro Materno-Infantil, a Praça de Galiza e as faculdades do polo do Campo Alegre.

Já a extensão da Linha Amarela permitirá construir um troço com três estações e cerca de três quilómetros, que ligará Santo Ovídio a Vila d'Este, passando pelo Centro de Produção da RTP e pelo Hospital Santos Silva.

"As empreitadas vão decorrer entre 2020 e 20232, refere a Metro do Porto.

Para a empreitada da designada linha Circular, ou Rosa, foram apresentadas seis propostas, enquanto a obra de extensão da linha Amarela recebeu nove propostas.

"Todas apresentam valores abaixo dos preços base de cada um dos concursos, ao contrário do que se havia verificado nos concursos públicos anteriores para as mesmas empreitadas (concluídos em março)", descreveu a empresa, em 26 de maio.

A 09 de abril, a empresa prorrogou até 25 de maio o prazo para apresentação de propostas para a expansão.

Fonte da empresa explicou à Lusa que a decisão de prorrogar o prazo se deveu à "necessidade de esclarecimento" das "várias questões" colocadas por novos interessados na obra que teve um primeiro procedimento com o valor base de 270 milhões de euros.

Como o primeiro concurso, concluído no início de março, terminou com a apresentação de "sete propostas" com valores "substancialmente acima do preço base" de 270 milhões, o governo autorizou a empresa a reforçar o valor base da empreitada em 95 milhões de euros.

De acordo com os anúncios do concurso publicados em Diário da República, a linha Rosa tem um prazo de construção de 42 meses (três anos e meio).

No prolongamento da linha Amarela, o "prazo de execução do contrato" é de 34 meses (dois anos e 10 meses).

Em março, o Governo autorizou a Metro do Porto a gastar até 407,7 milhões de euros com esta expansão, num reforço total de 137 milhões de euros para as duas empreitadas.

Fonte da empresa esclareceu à Lusa que a diferença entre o reforço de 95 milhões de euros para a empreitada e o reforço global de 137 milhões diz respeito a outros concursos complementares que terão de ser lançados, ligados à sinalética ou máquinas de bilhética.

O Metro do Porto opera atualmente em sete concelhos da Área Metropolitana do Porto através de uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, tendo em 2019 ultrapassado os 71 milhões de clientes, de acordo com dados da empresa.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório