Meteorologia

  • 09 JULHO 2020
Tempo
27º
MIN 19º MÁX 29º

Edição

Programa de Estabilização: Restaurantes com medidas "muito insuficientes"

A associação nacional de restaurantes portugueses PRO.VAR classificou hoje de "positivas", mas "muito insuficientes" as medidas do Programa de Estabilização Económica e Social para a restauração sobreviver à crise provocada pela pandemia.

Programa de Estabilização: Restaurantes com medidas "muito insuficientes"
Notícias ao Minuto

15:29 - 06/06/20 por Lusa

Economia Covid-19

"As medidas apresentadas são positivas, mas ainda muito insuficientes. Continuaremos a trabalhar para influenciar o Governo a tomar as melhores opções e medidas que permitam às empresas sobreviverem a esta grave crise que está a afetar de forma muito particular o setor da restauração. (...) Lamentamos por isso, que não tenham ido mais longe", lê-se num comunicado enviado hoje à comunicação social.

O Programa de Estabilização Económica e Social, que vai vigorar até ao fim do ano, enquadrará o futuro orçamento retificativo, que o Governo deverá aprovar em nova reunião de Conselho de Ministros, na próxima terça-feira.

A PRO.VAR defende, por exemplo, a redução do IVA de 13% para os 6% nas comidas, a atribuição por parte do Governo de uma verba de 50 milhões de euros, para apoio à criação de programas de incentivo ao consumo, como a criação de 'vouchers' ou o apoio à promoção do setor, apoio às rendas, no período da pandemia com a implementação de um novo modelo de cálculo de renda

A PRO.VAR congratulou-se, contudo, pelo "reforço das linhas de financiamento à tesouraria e ao Programa Adaptar", e diz que aguarda "melhor e maior detalhe" sobre o reforço anunciado das medidas de capitalização para assegurar a liquidez das empresas, um fundo que consideram que pode ser "muito importante se responder rapidamente às necessidades das empresas".

A Associação apelou à "sensibilidade de todos" e assume que o setor da restauração "está a atravessar o pior momento de sempre", porque os estabelecimentos abriram, mas na sua maioria "não conseguem faturar o suficiente para fazer face às despesas".

Um inquérito realizado pela PRO.VAR ao setor da restauração entre os dias 14 de abril e 10 de maio indicava que 53% das empresas que responderam que se candidataram às linhas bancárias covid-19, principalmente as "grandes e médias empresas" e que "metade das microempresas e pequenas empresas não estão a ter acesso a nenhum apoio das linhas", sendo que 63% não consegue pagar as contas".

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 395 mil mortos e infetou mais de 6,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.465 pessoas das 33.969 confirmadas como infetadas, e há 20.526 casos recuperados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório