Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2020
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

Presidente do Altice diz que "segurança" dos trabalhadores é prioridade

O presidente do grupo Altice, Patrick Drahi, enviou hoje uma mensagem aos trabalhadores, na qual afirma que a prioridade é "assegurar a segurança" de todos, enquanto cumprem a missão de proteger as redes de telecomunicações.

Presidente do Altice diz que "segurança" dos trabalhadores é prioridade
Notícias ao Minuto

12:43 - 19/03/20 por Lusa

Economia Covid-19

Na mensagem, a que a Lusa teve hoje acesso, Patrick Drahi começa por "assegurar" o seu "total apoio" perante "tempos preocupantes e sem precedentes".

Com Armando Pereira, cofundador da Altice, e Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal, o fundador do grupo adianta estarem "em contacto, hora a hora, com todos os gestores para monitorizar a situação e tomar as decisões necessárias em todos os países" onde estão presentes.

"A nossa prioridade é assegurar a segurança de cada um de vós enquanto são realizadas as nossas missões principais: proteger as nossas redes de telecomunicações, informar plenamente os cidadãos com os nossos media, disponibilizar a nossa melhor conectividade e apoiar os nossos clientes da melhor maneira possível", prossegue o gestor, que fundou o grupo Altice.

"Todos os dias, com a ajuda dos vossos gestores, tomaremos todas as medidas necessárias para proteger a vossa saúde e ajustar as nossas atividades em resposta à evolução da situação", garantiu.

"A nossa responsabilidade é enorme", sublinhou, apontando que os próximos dias e semanas "serão difíceis".

"Somos uma empresa grande, internacional, madura, resiliente, passaremos por esta crise mundial e teremos a capacidade de apoiar as nossas equipas ao longo do tempo", apontou, reiterando que todos podem sempre contar com o fundador.

"Obrigado pela vossa dedicação, sigam as instruções das autoridades, tomem conta da vossa família, cuidem-se", concluiu Patrick Drahi, na sua missiva, no dia em que Portugal entrou em estado de emergência.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 785, mais 143 do que na quarta-feira. O número de mortos no país subiu para três.

Dos casos confirmados, 696 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

O boletim divulgado pela DGS assinala 6.061 casos suspeitos até hoje, dos quais 488 aguardavam resultado laboratorial.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quarta-feira.

A Assembleia da República aprovou na quarta-feira o decreto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 02 de abril, segundo o decreto publicado na quarta-feira em Diário da República que prevê a possibilidade de confinamento obrigatório compulsivo dos cidadãos em casa e restrições à circulação na via pública, a não ser que tenham justificação.

O Conselho de Ministros aprova hoje as medidas que concretizam o estado de emergência proposto pelo Presidente.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório