Meteorologia

  • 04 ABRIL 2020
Tempo
16º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

Bolsa de Lisboa em baixa com Pharol a liderar perdas, a cair mais de 2,3%

A bolsa em Lisboa estava hoje a negociar em baixa, com 13 ações do PSI20 a recuar, lideradas pelas da Pharol, que desciam 2,36% para 0,10 euros.

Bolsa de Lisboa em baixa com Pharol a liderar perdas, a cair mais de 2,3%
Notícias ao Minuto

09:35 - 03/02/20 por Lusa

Economia Mercado

Cerca das 09h10 em Lisboa, o principal índice da bolsa, o PSI20, descia 0,49% para 5.226,26 pontos, com 13 'papéis' a desceram, três a subirem e dois inalterados (BCP e Ibersol).

As ações dos CTT e as da Galp Energia eram outras que também desciam mais de 1%, estando a cair, designadamente, 1,84% para 2,87 euros e 1,36% para 13,45 euros.

No mesmo sentido, as ações da EDP e EDP Renováveis desciam 1,28% para 4,47 euros e 1,17% para 11,86 euros, respetivamente.

Em sentido contrário, as ações da Sonae Capital e da Ramada Investimentos lideravam as subidas, estando a valorizar-se, respetivamente, 1,82% para 0,78 euros e 1,40% para 5,80 euros.

Na Europa, as principais bolsas europeias estavam hoje em alta, apesar das perdas de mais de 8% registadas nas bolsas chinesas devido à propagação do coronavírus e das consequências económicas da mesma.

Os mercados chineses abriram em baixa hoje, dia em que voltaram a abrir depois do prolongamento das férias de Ano Novo decretado pelo Governo chinês devido à propagação do coronavírus.

Concretamente, a bolsa de Xangai, principal mercado de valores da parte continental da China, fechou a cair 7,72%, enquanto a de Shenzhen, a segunda maior do país, recuou 8,45%.

Os investidores estão a antecipar a tomada de decisões firmes para combater a propagação do coronavírus a partir da China, depois da Organização Mundial de Saúde (OMS) ter declarado emergência sanitária internacional.

As bolsas chinesas foram sacudidas pelo coronavírus apesar de as medidas anunciadas pelo banco central da China para apoiar a economia, designadamente a injeção de uma grande quantidade de liquidez no sistema bancário e a descida das taxas de juro dos acordos de recompra inversa.

A propagação do coronavírusafetou o consumo, a produção industrial e outros setores económicos, e as consequências também já se refletem no mercado de matérias-primas, onde se prevê um recuo da procura de petróleo.

O barril de petróleo Brent para entrega em abril de 2020 abriu hoje em alta, a cotar-se a 56,06 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 56,62 dólares na quinta-feira.

Na sessão de hoje das bolsas chinesas, a primeira depois da concretização do 'Brexit', soube-se que os resultados das principais empresas industriais chinesas recuaram 3,3% em 2019.

A bolsa de Nova Iorque terminou na sexta-feira com o Dow Jones a recuar 2,09% para 28.256,03 pontos, contra 29.348,10 pontos em 17 de janeiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a desvalorizar-se 1,59% para 9.150,94 pontos, contra o atual máximo de sempre, de 9.402,48 pontos, verificado em 24 de janeiro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1077 dólares, contra 1,1093 dólares na sexta-feira.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório