Meteorologia

  • 24 FEVEREIRO 2020
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 22º

Edição

SINTAC vai pedir mediação por causa do Acordo de Empresa na Portway

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) vai requerer mediação depois de não ter chegado a acordo com a Portway sobre o Acordo de Empresa (AE), durante uma reunião hoje na DGERT.

SINTAC vai pedir mediação por causa do Acordo de Empresa na Portway
Notícias ao Minuto

19:53 - 22/01/20 por Lusa

Economia SINTAC

Em declarações à agência Lusa, Fernando Simões, dirigente do Sintac, deu conta das conclusões do encontro entre os sindicatos e a Portway, na Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT), indicando que a empresa vai na quinta-feira depositar o AE, algo que antecede a sua publicação. O SINTAC não subscreveu o documento.

"Vamos avançar com um requerimento para fundamentar o pedido e irmos para processo de mediação por ter sido denunciado o acordo", explicou Fernando Simões.

"Se o requerimento for aceite pela DGERT, a entidade terá que chamar o SINTAC e o STAMA [Sindicato dos Trabalhadores dos Aeroportos Manutenção e Aviação, que também não subscreveu] para depois vermos até que ponto a empresa terá ou não que renegociar e que posição vai apresentar", avançou.

Este processo passa pela tentativa de resolver um conflito com a ajuda de um mediador, nomeado pela DGERT.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Portway garantiu que o acordo alcançado com "quatro sindicatos representativos na empresa está assinado e pronto a ser publicado".

A empresa esclareceu ainda que "os benefícios e condições acordadas no AE agora assinado são as que já resultavam das negociações do AE acordado em julho passado", sendo que na reunião de hoje, "a Portway voltou a reiterar que se mantém disponível para chegar a um entendimento com os sindicatos não subscritores do novo AE, esperando que isso possa acontecer em breve".

O SINTAC é muito crítico da atuação da empresa, que presta assistência em terra nos aeroportos nacionais, acusando-a de fazer alterações ao documento de julho.

"A empresa alega que nos deu conhecimento, mas passaram sete meses, sendo que, em reunião, admitiu que há diferenças entre esse documento e o de 23 de julho. Queriam que assinássemos um documento que nem sabemos as alterações", assegurou Fernando Simões.

"Estão literalmente a enganar os trabalhadores e querem colocar uma portaria de extensão para abranger os trabalhadores não sindicalizados no acordo", referiu.

No dia 20 de janeiro, a Portway, em resposta a perguntas da Lusa, garantiu que "insistiu sempre em ter um acordo subscrito por todos os sindicatos".

"Contudo, perante a impossibilidade de o conseguir, considerou-se que os trabalhadores não podiam esperar mais para ver as suas preocupações acomodadas e, desse modo, a Portway chegou a acordo com a maioria das estruturas sindicais, um acordo que já tinha sido alcançado em julho passado", referiu a empresa.

No mesmo dia, o SINTAC acusou a empresa de 'handling' de lançar uma "campanha de desinformação".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório