Meteorologia

  • 03 ABRIL 2020
Tempo
MIN 8º MÁX 20º

Edição

Wall Street fecha com recordes dos seus principais índices

A bolsa nova-iorquina retomou hoje a sua corrida aos recordes, com os investidores a prepararem-se para a assinatura do acordo comercial preliminar entre norte-americanos e chineses e a entrada na época dos resultados empresariais.

Wall Street fecha com recordes dos seus principais índices
Notícias ao Minuto

23:35 - 13/01/20 por Lusa

Economia Mercado

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average apreciou-se 0,29%, para uns inéditos 28.907,05 pontos.

Da mesma forma, foram estabelecidos novos máximos históricos pelo tecnológico Nasdaq, que progrediu 1,04%, para as 9.273,93 unidades, e o alargado S&P500, que valorizou 0,70%, para as 3.288,13

Em particular, o Nasdaq aproveitou a subida em mais de 10% do construtor de veículos elétricos Tesla.

"Os investidores entraram nesta semana com algum entusiasmo com a ideia de ver, por fim, assinado o acordo de 'fase 1' entre os EUA e a China", observou Art Hogan, da National Holdings.

Se o calendário for respeitado, os representantes das duas primeiras potências económicas mundiais devem ratificar, na quarta-feira, em Washington, a primeira etapa de um acordo comercial.

O texto do compromisso a que chegaram chineses e norte-americanos vai ser então revelado na íntegra. As discussões sobre a 'fase 2' começarão então.

As informações divulgadas pela comunicação social sobre a retirada pelos EUA da China da lista dos países que acusam de manipularem a moeda foi bem recebida pelos investidores, que a viram como um gesto de boa vontade por parte da Casa Branca.

Por outro lado, os investidores estão a preparar-se para a época de divulgação de resultados trimestrais, com os dos bancos JPMorgan Chase, Citigroup e Wells Fargo esperados já para terça-feira.

De forma geral, "os volumes das trocas permaneceram moderados", sublinhou Art Hogan, para quem os investidores estão a hesitar a comprometerem-se totalmente na medida em que os índices já estão em níveis recorde.

Valor símbolo do dia, as ações da Tesla superaram hoje pela primeira vez o valor dos 500 dólares, ao subirem 9,77%, para os 524,96 dólares, depois, designadamente, de uma revisão por um analista da Oppenheimer da sua recomendação de preço para a ação.

O valor bolsista do grupo de Elon Musk alcançou os 95 mil milhões de dólares (85 mil milhões de euros), o que excede o valor da soma dos históricos construtores automóveis norte-americanos, General Motors (50 mil milhões) e Ford (37 mil milhões).

A Boeing valorizou 0,09%, no dia em que o seu novo diretor-geral, David Calhoun, tomou posse. Este prometeu uma era de humildade e transparência no construtor aeronáutico, que atravessa a mais grave crise dos seus 103 anos de história por causa dos problemas do 737 MAX.

Já os fornecedores de material aeronáutico e de defesa Woodward e Hexcel beneficiaram do anúncio da sua fusão num grupo que vai ter cinco mil milhões de dólares em volume de negócios e empregar 16 mil pessoas, ao valorizarem respetivamente 4,82% e 9,59%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório