Meteorologia

  • 19 JANEIRO 2020
Tempo
12º
MIN 8º MÁX 16º

Edição

Bloco incentiva Governo a vetar proposta orçamental europeia

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) incentivou hoje o primeiro-ministro a continuar a opor-se em Bruxelas e a vetar uma proposta de orçamento da União Europeia que considera ser "prejudicial" para Portugal.

Bloco incentiva Governo a vetar proposta orçamental europeia

"Esperamos que o Governo português não desista daquilo que afirmou na Assembleia da República e [...] vete qualquer proposta de Orçamento europeu que" ponha em causa a coesão (ajuda das regiões mais ricas às mais pobres), disse Catarina Martins à margem do congresso da família europeia do Bloco, o Partido da Esquerda Europeia, que termina domingo, em Málaga, Espanha.

Para a líder bloquista "é relevante que o Governo português se tenha oposto" à proposta que, segundo ela, "destrói a possibilidade das poucas políticas de coesão que existem na Europa".

"Estamos muito preocupados que o Eurogrupo e Mário Centeno [ministro das Finanças] insistam numa proposta que ataca o nosso país e as nossas políticas de investimento", afirmou Catarina Martins.

A coordenadora do BE sublinhou a "situação um pouco estranha de Centeno contra Centeno" para referir o facto de a posição do responsável pelas finanças portuguesas, na sua qualidade de presidente do Eurogrupo, não ser a mesma da do Governo português.

O primeiro-ministro afirmou hoje que "não há qualquer divergência" entre si e o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno, e salientou que o Governo português tem estado "mobilizado ativamente" em torno do orçamento da zona euro.

"Não há qualquer divergência entre mim e o MEF [ministro de Estado e das Finanças] Mário Centeno", escreveu António Costa na sua conta oficial na rede social Twitter.

"Ontem, Mário Centeno, como lhe compete, apresentou a proposta do Eurogrupo e eu, como me compete, expressei a já conhecida posição nacional. Os trabalhos prosseguirão para termos o orçamento que a zona euro precisa", escreveu também o primeiro-ministro.

O chefe do Governo argumenta que "a criação de um orçamento da zona euro é essencial e tem mobilizado ativamente" o seu executivo.

"Foi dado um passo importante em outubro com a aprovação de uma proposta no Eurogrupo, que pode e deve ser agora melhorada no CE [Conselho Europeu]", assinalou.

Na sexta-feira, em Bruxelas, o primeiro-ministro tinha admitido divergências com Centeno, que é também presidente do Eurogrupo, sobre o orçamento da zona euro, devido à "fórmula mal desenhada" deste instrumento, mas afastou "constrangimentos".

"Não há nenhum constrangimento entre o primeiro-ministro de Portugal e o presidente do Eurogrupo, visto que ao primeiro-ministro de Portugal compete representar os portugueses e os seus interesses e ao presidente do Eurogrupo compete representar a vontade geral do Eurogrupo", declarou António Costa, falando aos jornalistas no final de uma cimeira do euro, em Bruxelas, na qual foi discutido o instrumento orçamental para a convergência e competitividade da zona euro (BICC, na sigla inglesa).

Negando mal-estar com Centeno, Costa realçou que "não é a primeira vez que entre Portugal e o Eurogrupo não existe uma posição conjunta".

Na sua edição de hoje, o jornal semanário Expresso noticia que o assunto motivou uma discussão entre Costa e Centeno no Conselho Europeu.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório