Meteorologia

  • 19 JANEIRO 2020
Tempo
15º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

OE2020. Costa pede escalões no IVA da luz e leva excedente no 'bolso'

A proposta do Governo para o Orçamento do Estado 2020 será apresentado na próxima segunda-feira, dia 16 de dezembro. Fique a par de tudo o que já se sabe.

OE2020. Costa pede escalões no IVA da luz e leva excedente no 'bolso'

Faltam poucos dias para a apresentação do Orçamento do Estado para o próximo ano (OE2020), mas só agora se começou a levantar o pano sobre algumas das propostas que estão na 'cabeça' do Governo. Um excedente de 0,2% já no próximo ano, escalões de IVA na energia em função do consumo e a esperança de que o documento seja aprovado são algumas das novidades.

A aprovação da proposta do Orçamento do Estado é uma das primeiras preocupações do Governo quando inicia uma legislatura. Até agora, só um partido divulgou o seu sentido de voto: a Iniciativa Liberal, sendo que irá rejeitar a proposta de Costa.  

Todos os restantes partidos com representação parlamentar que foram recebidos pelo ministro Mário Centeno na terça-feira - à exceção  do Livre, uma vez que a deputada Joacine Katar Moreira esteve ausente para participar na Cimeira do Clima, em Madrid - remeteram para mais tarde o anúncio do seu sentido de voto. O motivo? Querem primeiro conhecer o documento. 

Ainda assim, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, mostrou-se confiante na viabilização da proposta do Governo do OE2020. "O Governo, obviamente, acredita na viabilização da proposta. Como é do conhecimento público, tem tido conversas e tem trabalhado no sentido de procurar que este Orçamento responda àquilo que são as expectativas de alguns partidos políticos, além do PS, que suporta o Governo", disse aos jornalistas, após as reuniões com os partidos. 

Mas vamos às medidas em concreto. Os representantes dos partidos pouco disseram à saída, referiram apenas que a reunião com Centeno foi sobre o cenário macroeconómico, mas não quiseram confirmar os números que estão a servir de base para os cálculos do Executivo

Porém houve quem rompesse com a tendência. José Luis Ferreira, do Partido Ecologista Os Verdes (PEV), adiantou uma novidade à saída: o ministro das Finanças está a preparar o OE2020 num cenário de excedente orçamental de 0,2% - o que é um resultado histórico, uma vez que normalmente é apontado um défice. Esta previsão foi, entretanto, confirmada pelo secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares aos jornalistas. 

Eis as principais novidades: 

  • Governo vê excedente orçamental já no próximo ano - Os cálculos do Governo para o próximo ano estão a ser feitos numa base de excedente orçamental de 0,2%. Em outubro, quando o Executivo remeteu a Bruxelas o esboço orçamental, previa um saldo nulo. 
  • Crescimento económico será de 2% - A previsão para o crescimento económico, ao que tudo indica, será a mesma que a que o Governo tinha divulgado no esboço orçamental. Alguns meios de comunicação davam também conta de que a previsão para a taxa de desemprego rondará os 6,1%. 
  • Costa quer baixar fatura da luz. Pediu autorização para que fossem criados escalõesCom o objetivo de baixar a fatura da luz para os portugueses, uma vez que está entre as mais caras da União Europeia, o primeiro-ministro enviou uma carta à presidente da Comissão Europeia e pedir autorização para a criação de escalões no IVA. O objetivo é que taxa de IVA aplicada varie consoante o consumo de cada família. Costa considera que além da vertente de poupança, esta medida tem também uma componente ambiental, no sentido em que pode levar a uma redução do consumo. 
  • Arrendamento acessível será reforçadoO primeiro-ministro anunciou que a proposta orçamental para 2020 incluirá "medidas que reforcem os incentivos ao arrendamento acessível", destacando o objetivo de favorecer a transferência de casas em alojamento local para regime habitacional, sem penalização.
  • Investimento na saúde vai aumentar - Outra das novidades reveladas é que o Governo aprovará, esta quarta-feira, em sede de Conselho de Ministros, um plano plurianual para a saúde. O objetivo é que seja aumentado o investimento no setor, bem como resolver os problemas de suborçamentação.

Estas medidas estão, sublinhe-se, em negociação, uma vez que a proposta final do Governo apenas será apresentada na segunda-feira. Ainda assim, dão uma ideia sobre os planos da equipa de António Costa para o próximo ano. 

Para o próximo ano ou, até quem sabe, mais além. É que já fora do quadro económico, mas tratando-se também de uma novidade, o primeiro-ministro anunciou no debate quinzenal que faz intenção de "estar cá" numa próxima legislatura

Costa apelou à rejeição da proposta finlandesa, Parlamento responde com um 'sim' 

Uma nota final para dar conta que o primeiro-ministro, António Costa, mostrou-se satisfeito com o apoio de todos os partidos, menos a Iniciativa Liberal, à posição do Governo de rejeitar a proposta finlandesa de orçamento europeu e defender uma contribuição nacional de 1,16%. Foi precisamente com este tema que Costa deu o pontapé de saída no debate quinzenal de terça-feira. 

A proposta da presidência finlandesa para o QFP 2021-27, assenta numa contribuição nacional de 1,07% do rendimento nacional bruto (RNB) de cada Estado-membro, enquanto a da Comissão Europeia é de 1,11% RNB, e do Parlamento Europeu 1,3% RNB.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório