Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2019
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Wall Street fecha em baixo pela terceira sessão consecutiva

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, depois de afirmações de Donald Trump indiciarem o afastamento de um acordo comercial entre chineses e norte-americanos.

Wall Street fecha em baixo pela terceira sessão consecutiva
Notícias ao Minuto

23:19 - 03/12/19 por Lusa

Economia Bolsas

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average cedeu 1,01%, para os 27.502,81 pontos.

O tecnológico Nasdaq perdeu cerca de metade (0,55%), para as 8.520,64 unidades, à semelhança do alargado S&P500, que recuou 0,66%, para as 3.093,20.

A sessão de hoje foi a terceira consecutiva em que os índices registaram perdas.

Sinal da instabilidade no mercado acionista, o índice que mede a volatilidade da praça nova-iorquina, o Vix, atingiu o seu máximo no último mês e meio.

Questionado sobre o estado das negociações comerciais sino-norte-americanas, Trump afirmou hoje em Londres, onde está para participar em uma cimeira da OTAN, que não tinha qualquer data como objetivo para alcançar um acordo.

"De uma certa maneira, gosto da ideia de esperar até depois das eleições [presidenciais nos EUA, em 2020] para alcançar um acordo com a China", declarou Trump, dando por adquirida a sua reeleição.

Entretanto, o seu governo ameaçou impor tarifas alfandegárias adicionais sobre as importações provenientes de França, que podem ir até 100% dos 2,4 mil milhões de dólares (2,2 mil milhões de euros) comprados pelos norte-americanos aos franceses, se Paris não renunciar à taxação das empresas do setor digital.

O inquilino da Casa Branca e o seu homólogo francês, Emmanuel Macron, procuraram depois acalmar a situação, aludindo a um diferendo que pode ser resolvido pelo diálogo.

Na segunda-feira, Trump anunciou direitos alfandegários sobre importações de aço e alumínio provenientes de Brasil, justificando-as com a necessidade de responder à desvalorização cambial destes países.

"Trump parece pensar que qualquer país que tenha um excedente comercial com os EUA e uma moeda fraca, ou qualquer rival comercial com alguma dimensão, é um mau ator. Parece disposto a aplicar tarifas alfandegárias a não importa quem", comentou Karl Haeling, da LBBW.

Não obstante, Trump procurou minimizar a descida de Wall Street, considerando que se trata de "insignificâncias", considerando a progressão dos índices Dow Jones, Nasdaq e S&P500 desde a sua eleição em novembro de 2016.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório