Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

Prevenção da Corrupção quer menos ajuste direto nos contratos públicos

O Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), numa recomendação hoje publicada em Diário da República, adverte "todas" as entidades que celebrem contratos públicos a "privilegiar o recurso" a procedimentos concorrenciais em detrimento da consulta prévia e do ajuste direto.

Prevenção da Corrupção quer menos ajuste direto nos contratos públicos
Notícias ao Minuto

11:19 - 02/12/19 por Lusa

Economia Contratos

No documento - intitulado "Prevenção de riscos de corrupção na contratação pública", o CPC explica que a recomendação, que aprovou em 02 de outubro, tem "de ser revisitada" à luz das recentes alterações ao Código dos Contratos Públicos (CCP), na sequência de novas diretivas europeias em matéria de contratação pública.

Os pressupostos da anterior recomendação do CPC sobre prevenção de riscos de corrupção na contratação pública, de 2015, "mantêm em absoluto a sua pertinência", carecendo, no entanto, "de ser revisitada à luz" das mais recentes alterações.

A todas as entidades que celebrem contratos públicos, o conselho recomenda "reforçar a atuação na identificação, prevenção e gestão" de riscos de corrupção e infrações conexas nos contratos públicos, quanto à sua formação e execução, "devendo, em especial, fundamentar a decisão de contratar, a escolha do procedimento, a estimativa do valor do contrato e a escolha do adjudicatário".

Essas entidades devem ainda, segundo a recomendação hoje publicada, "adotar instrumentos de planeamento específicos" em matéria de contratação pública, nomeadamente nos planos de compras, e devem "incentivar" recursos humanos com "formação adequada" para a elaboração, e aplicação, de peças procedimentais como o convite a contratar, o programa do concurso e o caderno de encargos.

Devem ainda "assegurar o funcionamento dos mecanismos de controlo de eventuais conflitos de interesses" na contratação pública, além de "privilegiar o recurso a procedimentos concorrenciais em detrimento da consulta prévia e do ajuste direto".

O CPC recomenda ainda, nos casos de recurso à consulta prévia ou ao ajuste direto, que sejam adotados procedimentos de controlo interno "que assegurem o cumprimento dos limites à formulação de convites às mesmas entidades".

Recomenda ainda "garantir a transparência" nos procedimentos de contratação pública, nomeadamente o cumprimento da obrigação de publicitação no portal da contratação pública, e "assegurar" que os gestores dos contratos são possuidores dos conhecimentos técnicos que os capacitem para o "acompanhamento permanente da execução dos contratos e para o cabal cumprimento" das demais obrigações legais.

O CPC recomenda, por último, aos órgãos de fiscalização, controlo e inspeção do setor público "que, nas suas ações, incluam a verificação" desta recomendação sobre prevenção de riscos de corrupção na contratação pública.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório