Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2019
Tempo
11º
MIN 8º MÁX 13º

Edição

PSI20 contraria tendência europeia e sobe 0,16%

O índice PSI20 subiu hoje 0,16% para 5.304,81 pontos, levando a bolsa de Lisboa à segunda sessão consecutiva de ganhos, em contraciclo com as principais praças europeias.

PSI20 contraria tendência europeia e sobe 0,16%
Notícias ao Minuto

17:19 - 08/11/19 por Lusa

Economia mercados

Das 18 cotadas que integram o PSI20, 11 subiram e sete desceram. A Pharol e os CTT destacaram-se com subidas de 8,86% para 0,11 euros e de 3,55% para 3,15 euros, respetivamente.

Nas maiores subidas ficaram ainda a Semapa (1,64% para 13,66 euros), a Sonae Capital (1,45% para 0,77 euros), a Altri (1,44% para 5,98 euros) e a REN (1,29% para 2,75 euros).

Com subidas abaixo de 1% terminaram a EDP (3,68 euros), o BCP (0,22 euros), a EDP Renováveis (10,28 euros), a Ibersol (7,50 euros) e a Mota-Engil (2,05 euros).

Nas principais descidas, a NOS caiu 1,93% para 5,32 euros, enquanto a Sonae SGPS e a Corticeira Amorim recuaram 1,59% para 0,93 euros e 9,92 euros, respetivamente.

A Ramada Investimentos baixou 0,62% para 6,36 euros, depois de ter comunicado ao mercado na quinta-feira que os seus lucros caíram 91,5% para 5,7 milhões de euros de janeiro até setembro, em comparação com o mesmo período de 2018.

Com desvalorizações mais fracas terminaram a Navigator (3,56 euros), a Jerónimo Martins (15,41 euros) e a Galp (14,94 euros).

No resto da Europa, Londres perdeu 0,64%, Madrid 0,57%, Frankfurt 0,46% e Paris registou uma ligeira descida de 0,02%.

Os mercados recuaram depois das palavras do Presidente norte-americano, Donald Trump, garantindo que não foi acordada com a China uma retirada gradual das taxas alfandegárias retaliatórias impostas pelos dois países nos últimos meses. Na quinta-feira, Pequim tinha anunciado o contrário.

"Os principais negociadores dos dois países (...) concordaram em reduzir gradualmente as taxas adicionais, à medida que se registem progressos nas negociações para um acordo final", afirmou na quinta-feira Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio chinês.

A anulação parcial das taxas é uma condição para a realização de um acordo definitivo, disse Gao

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório