Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

"Expressiva derrota do PSD e CDS" e PS sem maioria "não foi por acaso"

A CGTP considerou hoje que "não foi por acaso" que o PS não teve maioria absoluta nas eleições legislativas de domingo e que isso se deveu à insistência numa "política laboral que dá sequência à da direita".

"Expressiva derrota do PSD e CDS" e PS sem maioria "não foi por acaso"
Notícias ao Minuto

19:39 - 07/10/19 por Lusa

Economia CGTP

Em declarações aos jornalistas, no final da reunião da Comissão Executiva da CGTP-IN, em Lisboa, o secretário-geral, Arménio Carlos, considerou que o voto dos portugueses determinou a existência uma "correlação de forças na Assembleia da República que, independentemente de algumas alterações, continua a permitir que se possa avançar na resposta concreta aos problemas dos trabalhadores".

"A expressiva derrota do PSD e do CDS confirma que os trabalhadores e o povo não esqueceram e não querem voltar a ser confrontados com a política de cortes nos salários, pensões e direitos, com o empobrecimento laboral e o questionamento da soberania nacional", considerou também a central sindical.

Na perspetiva da CGTP, estão reunidas as condições necessárias para que o governo do PS procure encontrar soluções com os partidos à sua esquerda, nomeadamente PCP e Bloco de Esquerda, mas deve demonstrar "sensibilidade para ouvir aqueles que têm outros programas".

"A CGTP defende o entendimento relativamente a propostas concretas entre o PS e os partidos que estão à sua esquerda", disse o secretário-geral.

Arménio Carlos sublinhou a disponibilidade da central sindical para negociar as suas reivindicações, tais como o aumento de 90 euros nos salários de todos os trabalhadores, a fixação a curto prazo dos 850 euros para o salário mínimo nacional e o aumento geral das pensões.

"Estamos disponíveis para negociar, mas é preciso que a outra parte nos dê uma resposta", reiterou o secretário-geral.

A CGTP vai solicitar já na terça-feira reuniões com todos os grupos parlamentares para discutir eventuais compromissos quanto à implementação da sua política reivindicativa para 2020.

No dia 11 de outubro vai ter lugar um Encontro Nacional de Ativistas Sindicais, na Academia Almadense, onde é esperada a presença de cerca de 800 dirigentes, "para dinamizar a luta reivindicativa nos setores privado e público e preparar a intervenção sindical no quadro da discussão do próximo Orçamento do Estado".

O PS venceu as legislativas de domingo, sem maioria absoluta, seguindo-se PSD, BE, CDU (PCP/PEV), CDS-PP e PAN. Chega, Iniciativa Liberal e Livre elegeram, cada um, pela primeira vez, um deputado nestas eleições.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório