Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2019
Tempo
20º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

S&P reduz em baixa para 'negativa' perspetiva de rating de crédito da Oi

A Standard & Poor's (S&P) reviu de "estável" para "negativa" a perspetiva de 'rating' de crédito da Oi, mantendo a nota "B" na escala global, mas cortando a escala nacional de brA para brA-, informou hoje a operadora brasileira.

S&P reduz em baixa para 'negativa' perspetiva de rating de crédito da Oi
Notícias ao Minuto

12:38 - 13/09/19 por Lusa

Economia CMVM

"A Oi informa aos seus acionistas e ao mercado em geral que a Standard & Poor's anunciou hoje a revisão do 'rating' de crédito atribuído à companhia, mantendo o 'rating' de longo prazo na escala global em B, mas reduzindo o 'outlook' [perspetiva] de 'stable' para 'negative', assim como reduzindo na escala nacional de brA para brA-", lê-se num comunicado da Oi enviado hoje pela acionista Pharol (ex-Portugal Telecom) à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No relatório, a que a agência Lusa teve acesso, a S&P explica que "a alteração da perspetiva reflete os desafios que a Oi vem enfrentando nos esforços para retomar o crescimento e gerar fluxos de caixa operacional livre", atribuindo esta situação "em parte ao atraso na injeção de capital de quatro mil milhões de reais [cerca de 887,2 milhões de euros], concluída apenas em janeiro de 2019, que adiou os investimentos da empresa".

"Além disso, esperávamos anteriormente que a Oi reportasse crescimento da receita em 2019. Entretanto, a empresa registou desvios acima das expectativas e consequentes declínios na receita de linhas fixas nos últimos trimestres", aponta a analista Luísa Vilhena.

Neste contexto, a agência de notação financeira aponta agora para uma quebra nas receitas da Oi em 2019 e 2020 e para uma retoma do crescimento apenas em 2021.

"As perspetivas negativas em ambas as escalas refletem as restrições de fluxo de caixa e os desafios de execução do plano de investimentos (capex) da empresa, que podem limitar a sua capacidade de reverter o declínio, enquanto enfraquece a sua rentabilidade. Na nossa visão, a operadora do setor de telecomunicações Oi reportará métricas de crédito mais fracas por um período mais longo do que o esperado, sobretudo em razão da queda na receita no segmento de telefone fixo", lê-se no documento.

A Oi está num processo de recuperação judicial desde 2016 com o objetivo de reduzir o passivo, que ronda os 65,4 mil milhões de reais (cerca de 13,4 mil milhões de euros).

PD // MSF

Lusa/fim

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório