Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2019
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

Edição

Governo aprova 567 milhões de euros para 602 empresas

O primeiro concurso do novo Sistema de Incentivos à Inovação (SI Inovação) envolveu um investimento público de 567 milhões de euros para 602 empresas, segundo resultados hoje apresentados pelo Governo, na Marinha Grande, no distrito de Leiria.

Governo aprova 567 milhões de euros para 602 empresas
Notícias ao Minuto

16:43 - 24/07/19 por Lusa

Economia Governo

Esta ferramenta financeira permitiu apoiar 602 projetos, atribuídos a empresas de todo o país, num investimento global de 1,2 mil milhões de euros.

A comparticipação pública nas empresas é de 567 milhões de euros, cobrindo 46% do investimento a realizar.

De acordo com o novo formato do SI Inovação, as empresas são apoiadas através de um subsídio direto do SI Inovação de 350 milhões de euros, adiantou o ministro do Planeamento, Nelson Souza.

Os empréstimos bancários rondam os 217 milhões de euros, cuja garantia parcial e os juros são assumidos pelo Portugal 2020.

"Em termos de resultados económicos, trata-se de gerar 9.400 postos de trabalho adicionais, no prazo de dois a três anos. Nesse período acrescentará perto de dois mil milhões de euros de exportações anuais", acrescentou

Nelson Souza afirmou que "o sistema de pagamento é feito à medida que o investimento é executado e exige resultados em matéria de postos de trabalho, de geração de riqueza, de vendas" e das exportações "que estão fixadas no contrato".

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, destacou a "grande procura por parte das empresas", o que "significa que as intenções de investimento empresarial continuam muito fortes" e que a capacidade que existe de "trabalhar com o sistema financeiro, permitiu responder melhor a essas necessidades de investimento".

"Nesta sessão ouvimos um empresário dizer que estes incentivos são importantes para a modernização das empresas e permitem responder melhor às necessidades de digitalização da sua atividade de automação e de eficiência energética", acrescentou.

Joe Santana, CEO (presidente executivo) do grupo WeMold, que detém a Tecnifreza, onde se realizou a apresentação destes resultados, afirmou que o projeto que candidatou "vai trazer um aumento de 6% nas exportações" e cerca de mais 40 moldes, o que "reflete um aumento de 30% até 2021".

Com um investimento de cerca de 2,1 milhões de euros -- incluindo apoios - serão ainda criados 14 novos postos de trabalho e está prevista a redução das pegadas carbónicas com a transição para as energias renováveis fotovoltaicas.

"O projeto consiste no aumento da área de produção, com mais equipamentos para suportar esse aumento de produção. A digitalização do processo é também muito importante para sermos mais rápidos, mais efetivos, melhorar a qualidade e dar respostas mais rápidas aos nossos clientes", acrescentou.

Leia Também: É "prematuro" falar sobre terceira travessia do Tejo, diz Nelson de Souza

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório