Meteorologia

  • 23 AGOSTO 2019
Tempo
22º
MIN 18º MÁX 25º

Edição

Wall Street fecha em alta com a Fed a compensar resultados dececionantes

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta ligeira, com os comentários de um dirigente do banco central, a indiciar um corte das taxas de juro, a eclipsar os resultados dececionantes de empresas como a Netflix.

Wall Street fecha em alta com a Fed a compensar resultados dececionantes
Notícias ao Minuto

23:08 - 18/07/19 por Lusa

Economia bolsa

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average valorizou 0,01%, para os 27.222,97 pontos, e o tecnológico Nasdaq 0,27%, para os 8.207,24.

Por seu lado, o alargado S&P500 ganhou 0,36%, para as 2.995,11 unidades.

Os índices beneficiaram, no final da sessão, das afirmações de John Williams, presidente do banco da Reserva Federal em Nova Iorque, que estimou que, mesmo com as taxas diretoras próximas de zero, não se deve necessariamente "guardar os cartuchos". Tradução, segundo vários analistas: defesa de uma descida das taxas de juro, incluindo uma descida acentuada.

Estas descidas das taxas de juro são sempre bem acolhidas pelos investidores em Wall Street, porque diminuem o curso do crédito para as empresas e as famílias e estimulam a economia norte-americana.

Antes, os índices tinham sido prejudicados pelo recuo de alguns dos títulos mais importantes, depois de terem divulgado resultados trimestrais dececionantes, em particular a Netflix, que caiu 10,3%.

Esta empresa que disponibiliza filmes na internet sofreu um revés inesperado no segundo trimestre, ao atrair bem menos assinantes do que previsto: 2,7 milhões em vez dos cinco milhões.

O prestador de seguros de saúde UnitedHealth, membro do Dow Jones, perdeu 1,6%, depois de ter apresentado lucros inferiores aos esperados.

Já os resultados do banco de negócios Morgan Stanley, que valorizou 0,3%, e do grupo informático IBM, que fechou com um ganho de 2,7%, foram melhor acolhidos.

Mas os investidores mantiveram as suas precauções perante a falta de avanços relevantes nas negociações comerciais entre os EUA e a China.

Segundo o Wall Street Journal, Pequim quer que Washington alivie as sanções aplicadas ao conglomerado chinês das telecomunicações e permitir às empresas norte-americanas que vendam alguns componentes à Huawei. Mas ainda não há qualquer consenso.

Em entrevista à estação televisiva CNBC, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, reconheceu que existem "problemas difíceis" a resolver.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório