Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2019
Tempo
21º
MIN 18º MÁX 23º

Edição

País tem de aproveitar "todo o potencial" do território, diz ministro

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, disse hoje que o país tem de aproveitar "todo o potencial" do território para prosseguir com a trajetória de crescimento económico verificado nos últimos anos.

País tem de aproveitar "todo o potencial" do território, diz ministro
Notícias ao Minuto

14:59 - 18/07/19 por Lusa

Economia Siza Vieira

"Quando o programa do Governo lançou a ideia de construir um país que cresça do ponto de vista económico, mas que o faça com coesão social e com coesão territorial, é com a convicção de que está ao nosso alcance construirmos um futuro mais próspero para o país, pormos a economia a crescer e assegurarmos que continuamos numa senda de convergência com a Europa", disse hoje o governante, na Guarda.

Pedro Siza Vieira, que falava na cerimónia de assinatura de um protocolo de cooperação entre o Instituto dos Registos e do Notariado e a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas para instalação do Arquivo de Registo Automóvel de Lisboa naquela cidade, referiu que Portugal é o país que, pelo terceiro ano consecutivo, está "a crescer mais do que a União Europeia".

"Mas não faz sentido esse movimento sem o fazermos com a partilha por todos os nossos concidadãos dos benefícios desse crescimento: redução das desigualdades e coesão territorial. Mas há uma convicção mais funda que temos todos. É que, na verdade, não é possível assegurarmos estes níveis de crescimento se não aproveitarmos todo o potencial do nosso território, todo o potencial das nossas gentes", defendeu.

Segundo o ministro, o modelo de crescimento económico que causou o desequilíbrio de desenvolvimento e demográfico dentro do país, trouxe, seguramente, muito progresso, mas levou o país "só até um certo ponto".

"Continuar a crescer sustentadamente, a partir daqui, implica valorizar todo o nosso território, aproveitar todo o potencial do nosso território", vaticina.

Em sua opinião, "atrair investimento, que crie emprego, que fixe pessoas, que atraia pessoas para o interior do país, é uma componente essencial desse movimento de crescimento".

"Mas também assegurar serviços públicos de qualidade a todos os nossos concidadãos é uma condição de coesão territorial, de redução das desigualdades. E a administração pública e as políticas públicas têm um papel essencial a desempenhar nesse plano", rematou.

Na cerimónia de assinatura do protocolo de cooperação para a instalação do Arquivo de Registo Automóvel de Lisboa nas instalações do Arquivo Distrital da Guarda, no âmbito do plano de Valorização do Interior, Pedro Siza Vieira disse que o projeto-piloto "será bem-sucedido".

Admitiu tratar-se de "um local privilegiado" e, para além da criação de emprego, o Governo dá a possibilidade de "servir melhor os portugueses" a partir da Guarda.

O presidente da Câmara Municipal, Carlos Chaves Monteiro, também valorizou a iniciativa, lembrando que a cidade tem "um relevo antissísmico e que as baixas temperaturas favorecem a conservação dos documentos".

Segundo o autarca, o Arquivo Distrital possui "as condições adequadas para arquivar este tipo de documentos".

O município da Guarda está disponível para ajudar "naquilo que for necessário" para a execução do projeto-piloto que, segundo a secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedroso, irá desenvolver-se durante um ano.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório