Meteorologia

  • 02 ABRIL 2020
Tempo
17º
MIN 7º MÁX 19º

Edição

Trabalhadores das cantinas escolares de Santo Tirso em protesto

Trabalhadores das cantinas escolares do município de Santo Tirso, da empresa Uniself, concentraram-se hoje frente à Câmara local para solicitar que fiscalize o cumprimento do caderno de encargos, por alegadamente não estar a ser cumprido.

Trabalhadores das cantinas escolares de Santo Tirso em protesto
Notícias ao Minuto

12:35 - 18/07/19 por Lusa

Economia Autarquia

Em declarações à Lusa, Nuno Coelho, do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte, disse que foi entregue uma moção na autarquia e um pedido para que se realize uma reunião entre a empresa, a câmara e o sindicato para discutir as reivindicações dos trabalhadores.

Os trabalhadores protestaram contra "a falta de pessoal nas cantinas, os ritmos de trabalho intensos e a polivalência desvalorizada das cozinheiras, que são obrigadas a fazer tudo no refeitório, desde a limpeza, à lavagem de louça, preparação e confeção das refeições", disse o sindicalista.

Pretendem também melhores salários e a contratação de todos os trabalhadores para todo o ano letivo, bem como a passagem a efetivos de todos os trabalhadores, pelo menos nas cantinas que estão abertas de setembro a julho do ano seguinte.

Protestaram ainda contra a redução da carga horária e contra a contratação de trabalhadores pelas empresas de trabalho temporário.

A Lusa contactou a Câmara de Santo Tirso que, em comunicado, refere que, no âmbito do caderno de encargos, a autarquia tem fiscalizado o funcionamento das cantinas escolares do 1.º ciclo de forma regular, ao longo de todo o ano, considerando "estranho que o sindicato esteja a fazer este protesto em frente aos Paços do Concelho, quando as reivindicações estabelecidas não dizem respeito à Câmara de Santo Tirso, uma vez que se tratam de funcionários da Uniself S.A".

Ainda assim, acrescenta a autarquia, "o chefe de gabinete da Câmara de Santo Tirso recebeu os representantes sindicais, assegurando que as reivindicações irão ser transmitidas à Uniself".

Segundo a Câmara de Santo Tirso, de acordo com a informação recolhida junto dos estabelecimentos de ensino, apenas cinco cozinheiras aderiram à greve, nomeadamente nas escolas da Ermida, Merouços, Cantim, Quinchães e Jardim-de-Infância da Vinha.

A Câmara de Santo Tirso tem um contrato de prestação de serviços com a empresa Uniself, que resultou de um concurso público internacional, para assegurar as refeições nas cantinas das 36 escolas do 1.º ciclo do município.

De acordo com o caderno de encargos estabelecido pela Câmara, "a empresa Uniself tem afetas às cantinas do município 80 colaboradoras, entre cozinheiras e empregadas de refeitório".

"Portanto, o vínculo contratual entre as colaboradoras é com a empresa e não com a Câmara Municipal", conclui a autarquia.

A Lusa tentou contactar a Uniself, mas até ao momento tal não foi possível.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório