Meteorologia

  • 21 JULHO 2019
Tempo
26º
MIN 24º MÁX 28º

Edição

PSI20 segue positivo com BCP a puxar pelos ganhos

O PSI20 segue em terreno positivo, entre uma restante Europa igualmente em alta, com o BCP a puxar pelos ganhos.

PSI20 segue positivo com BCP a puxar pelos ganhos
Notícias ao Minuto

09:44 - 11/06/19 por Lusa

Economia mercados

Pelas 9h00, o principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, seguia a avançar 0,5% para 5.199,40 pontos, com 12 ações positivas, quatro negativas e duas inalteradas.

A liderar os ganhos seguia a Ibersol, que avançava 2,54% para 8,06 euros, seguida do BCP que avançava 1,71% para 0,26 euros.

O BCP está hoje a pagar dividendos aos seus acionistas, pela primeira vez desde 2010, no valor de 0,2 cêntimos.

De acordo com a analista Carla Santos, da XTB, "o maior banco privado português mostra, assim, sinais de recuperação".

"Em altura de pagamento de dividendos, a cotação das empresas costuma reagir em baixa, mas o BCP mostra resiliência na zona dos 0,25 euros, mostrando que os investidores começam a acreditar na robustez do banco e tornando os 0,25 euros numa forte zona de suporte", refere.

A Galp seguia a avançar 0,47% para 13,77 euros e a Jerónimo Martins avançava 0,31% para 14,65 euros.

As ações da EDP seguiam inalteradas nos 3,45 euros.

Do lado das perdas, o destaque é da Sonae Capital, que perdia 1,78% para 0,77 euros, seguida da Corticeira Amorim, que desvalorizava-se 0,39% para 10,14 euros.

Lisboa seguia em linha com as principais bolsas europeias, que estavam hoje em alta, com os investidores aliviados após o acordo alcançado entre os EUA e o México e apesar da maior economia do mundo manter a disputa comercial com a China.

O Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, anunciou no domingo que o senado mexicano vai ratificar na próxima semana o acordo comercial com os Estados Unidos e o Canadá (T-MEC), depois de o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter ameaçado o México com tarifas sobre as importações, tendo sido, posteriormente, alcançado um acordo entre os dois países.

Na sexta-feira, Donald Trump disse que o acordo inclui elementos ainda não divulgados, enquanto o Governo mexicano evitou confirmar se se comprometeu a aumentar as suas importações agrícolas.

Numa série de publicações na rede social Twitter, o Presidente norte-americano defendeu o pacto migratório alcançado com o México, que levou à suspensão de taxas sobre todas as importações mexicanas, após o jornal The New York Times informar que alguns pontos do acordo já tinham sido decididos há alguns meses.

Se as duas partes não tivessem chegado a um acordo, as tarifas entrariam em vigor na segunda-feira, afetando todas as importações mexicanas, com taxas que poderiam alcançar os 25% até outubro.

No acordo, o México comprometeu-se a mobilizar 6.000 elementos da Guarda Nacional para controlar a sua fronteira com a Guatemala e a receber os que solicitam asilo nos Estados Unidos, até que os seus pedidos sejam processados pelos tribunais dos EUA.

No mercado de matérias-primas, o preço do crude Brent - de referência na Europa - subia para os 62,76 dólares.

Hoje, será conhecido o indicador que mede o sentimento de confiança dos investidores na Europa, bem como a taxa de desemprego no Reino Unido.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório