Meteorologia

  • 17 JUNHO 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 16º

Edição

ANTRAM afirma que acabaram comentários sobre negociações com motoristas

A associação das empresas transportadores de mercadorias afirma que não vai comentar mais as negociações com o sindicato dos motoristas de matérias perigosas, depois de na quarta-feira ter dito que o sindicato teve "uma clara mudança de postura".

ANTRAM afirma que acabaram comentários sobre negociações com motoristas
Notícias ao Minuto

06:40 - 09/05/19 por Lusa

Economia Matérias Perigosas

Num comunicado divulgado na quarta-feira à noite, a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) diz que "não teve o intuito de obstaculizar ou prejudicar as negociações que estão a decorrer com este sindicato num clima de boa-fé negocial".

"A ANTRAM apenas voltará a comunicar sobre a proposta que lhe foi apresentada, de forma presencial, aos seus associados, nas reuniões que irão decorrer já na próxima semana, bem como ao SNMMP [Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas] nas reuniões que vierem a ter lugar posteriormente", adianta.

A associação tinha assinalado na quarta-feira à tarde que o sindicato teve uma "clara mudança de postura", após a ANTRAM ter apresentado uma contraproposta de 700 euros de salário-base, inferior aos 1.200 reivindicados inicialmente por estes trabalhadores, considerando que para essa mudança "não foram alheios os argumentos da ANTRAM apresentados ao longo dos últimos contactos".

Horas depois, o vice-presidente do sindicato, Pedro Pardal Henriques, anunciou, em declarações à RTP, uma nova greve com efeitos a partir do dia 23 de maio, acusando a ANTRAM de ter violado "os princípios da boa-fé negocial".

Na terça-feira, após uma ronda negocial, a ANTRAM tinha anunciado que a associação patronal e o sindicato tinham acordado um pacto de paz social pelo prazo de 30 dias

No comunicado emitido na quarta à noite, a ANTRAM esclarece que divulgou aos associados "pontos relevantes da proposta" apresentada pelo sindicato "para evitar um escalar de dúvidas e consequente agitação nas empresas".

A associação declara-se ainda "totalmente empenhada em dar continuidade ao bom clima negocial".

O caderno reivindicativo dos motoristas incluía, além de uma remuneração base de 1.200 euros, um subsídio de 240 euros e a redução da idade de reforma.

O Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas foi criado no final de 2018 e tornou-se conhecido com a greve iniciada no dia 15 de abril, que levou o Governo a decretar uma requisição civil e, posteriormente, a convidar as partes a sentarem-se à mesa de negociações.

A arbitragem do executivo fez com que representantes sindicais e empresariais chegassem a acordo, no dia 18, definindo um calendário para o início das negociações, sendo a paralisação desconvocada de imediato.

Durante os três dias de paralisação o sindicato conseguiu mais 200 membros, que são agora mais de 700, num universo de cerca 900.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório