Meteorologia

  • 16 JUNHO 2019
Tempo
21º
MIN 20º MÁX 24º

Edição

"País não tem futuro se a dívida não baixar", diz ministro das Finanças

O ministro das Finanças disse hoje que, sem reduzir a dívida pública, o país não tem futuro, reforçando que, após a descida da dívida em percentagem do PIB, a estratégia é começar a reduzir o valor em termos nominais.

"País não tem futuro se a dívida não baixar", diz ministro das Finanças
Notícias ao Minuto

13:16 - 24/04/19 por Lusa

Economia Centeno

"Nós não temos futuro para o país se a dívida não baixar. Não é possível projetar uma sustentabilidade para as políticas públicas se não tivermos uma trajetória de redução da dívida pública", afirmou Mário Centeno no debate sobre o Programa de Estabilidade sinalizando que "hoje, a dívida pública desce em percentagem do PIB [Produto Interno Bruto] e, já amanhã, vai começar a descer em termos nominais".

O ministro respondia ao deputado do PCP Paulo Sá que considerou que o Governo, ao estabelecer como "prioridade absoluta" o cumprimento das "imposições" de Bruxelas, procura "receber o certificado de bom aluno da União Europeia".

Quando apresentou o Programa de Estabilidade para 2019-2023, em 15 de abril, o ministro das Finanças definiu como objetivo a manutenção da trajetória de redução do peso da dívida pública em percentagem do PIB, prevendo que reduza de 118,6% este ano para os 99,6% em 2023.

Em termos de valor nominal, as mesmas projeções apontam para que a dívida pública atinja um 'pico' de 248,5 mil milhões de euros em 2020 para começar a reduzir dai em diante, estimando-se que recue, em termos nominais, para os 243,6 mil milhões de euros em 2021.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório