Meteorologia

  • 23 ABRIL 2019
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 15º

Edição

"É natural" que Vara tenha sido favorável a Vale do Lobo

O ex-diretor de empresas Sul da Caixa Geral de Depósitos (CGD) Alexandre Santos disse hoje no parlamento que "é natural" que Armando Vara tenha dado uma opinião favorável à operação de Vale do Lobo.

"É natural" que Vara tenha sido favorável a Vale do Lobo
Notícias ao Minuto

22:37 - 16/04/19 por Lusa

Economia Inquérito CGD

"Na discussão de operação, é natural que o administrador de pelouro [Armando Vara] tenha dado uma opinião favorável à operação", afirmou Alexandre Santos sobre o financiamento a Vale do Lobo, na sua audição na segunda comissão parlamentar de inquérito à gestão e recapitalização da CGD, que decorreu hoje na Assembleia da República, em Lisboa.

Numa troca de palavras com a deputada do Bloco de Esquerda (BE) Mariana Mortágua, o ex-diretor da CGD referiu que, no entanto, não conseguia "dizer se houve debate entre os administradores e que houve um que defendeu e outros que não defenderam" a operação.

"Nós quando estamos no conselho não estamos a defender as operações", declarou Alexandre Santos, que revelou preferir o verbo "apresentar", relativamente a propostas, quando questionado por Mariana Mortágua se o ex-administrador da CGD Armando Vara, condenado por tráfico de influências, tinha "defendido o negócio em Conselho Alargado de Crédito [CAC]".

"Repare, não é uma grande adivinhação, uma vez que o negócio veio de Armando Vara, era Armando Vara que tinha o pelouro que negociou a participação", sustentou a parlamentar do BE.

Alexandre Santos acrescentou que a possibilidade de sindicar a operação de Vale do Lobo com outras instituições bancárias nunca foi uma "obrigação" e que caso a opção de sindicação tivesse sido delegada num administrador do banco "então já não era preciso voltar" ao CAC.

A deputada do BE mostrou-se então surpreendida pela presença da expressão "possibilidade de sindicar a operação" num dos documentos de financiamento a Vale do Lobo, se acabou por não ser tomada.

O ex-diretor de empresas Sul da CGD disse ainda que "nunca" viu uma votação formal nos conselhos de crédito em que participou, mas sim que "havia a discussão" e, no final da reunião, "dizia-se que a operação estava autorizada ou não estava autorizada".

Relativamente à avaliação de património dos administradores do projeto de Vale do Lobo, para eventualmente serem utilizados como garantia, Alexandre Santos disse que a Caixa não ponderou "o património dos avalistas com a operação de crédito", uma vez que "o dinheiro já estava do lado de lá".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório