Meteorologia

  • 21 MAIO 2019
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

Edição

Caracas mantém envio de petróleo para Cuba apesar de sanções dos EUA

O Governo venezuelano vai manter as exportações de petróleo para Cuba, apesar das recentes sanções dos Estados Unidos contra o país, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros venezuelano, Jorge Arreaza.

Caracas mantém envio de petróleo para Cuba apesar de sanções dos EUA
Notícias ao Minuto

06:58 - 09/04/19 por Lusa

Economia Venezuela

"Continuaremos sempre a cumprir os compromissos venezuelanos e, evidentemente, os compromissos com povos irmãos, como o de Cuba", disse o ministro, na segunda-feira, em Caracas, durante uma conferência de imprensa que decorreu na Casa Amarela, sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Arreaza disse que não podia dar a conhecer a estratégia que o Governo do Presidente Nicolás Maduro irá usar para fazer chegar petróleo a Cuba, mas sublinhou: "nós somos especialistas em guerrilha".

"Mesmo quando o poder convencional do capitalismo" ataca, "há que saber responder por vias não convencionais, respeitando a lei internacional, sempre", acrescentou.

O ministro venezuelano sublinhou ter assinado vários acordos bilaterais para vencer o bloqueio imposto pelos Estados Unidos à Venezuela, na deslocação que realizou, no final de março, por vários países de África, Ásia e Europa.

"A comunidade internacional vai muito além dos EUA. Com o bloqueio financeiro pretendem isolar-nos", disse Arreaza, acrescentando que a Venezuela não está isolada.

O ministro destacou a cooperação com Angola na extração mineira, com a África do Sul em maquinaria agrícola e para a indústria farmacêutica, com o Uganda na agricultura, enquanto a Namíbia disponibilizou bolsas de estudo em medicina integral comunitária para estudantes venezuelanos.

A importação de alimentos e medicamentos, bem como as ligações aéreas foram as áreas de cooperação em foco com a Turquia. Já com a Síria está prevista a criação, em breve, do conselho empresarial sírio-venezuelano, bem como ações de cooperação em transportes aéreos, agricultura e fármacia.

"Agora é quando vamos abrir uma nova etapa nas relações com o Líbano", disse Arreaza, destacando "grandes potencialidades de cooperação, de intercâmbio comercial e de assessoria energética" entre os dois países.

Na sexta-feira, o Departamento do Tesouro norte-americano anunciou um pacote de novas sanções contra 34 embarcações, propriedade ou operadas pela empresa estatal Petróleos da Venezuela SA (PDVSA), e duas outras empresas que transportam petróleo venezuelano para Cuba.

"Os EUA continuam a tomar medidas enérgicas conta o regime ilegítimo do 'ex-Presidente' Nicolás Maduro, não apenas para isolar as empresas corruptas da Venezuela, mas também para atacar os simpatizantes de Maduro em Havana, que continuam a permitir a opressão do povo da Venezuela", indicou.

Entre os visados pelas sanções está o petroleiro "Despina Andrianna", propriedade da empresa Ballito Bay Shipping, com sede em Monróvia, Libéria, que transportou petróleo venezuelano para Cuba, em fevereiro e março passados.

Também a empresa operadora da embarcação, Proper in Management, com sede no porto grego de Pireu, em Atenas, foi alvo das sanções norte-americanas.

Para Caracas, o objetivo das sanções norte-americanas é atacar a "soberania económica" da Venezuela.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório