Meteorologia

  • 24 ABRIL 2019
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 15º

Edição

"Ouvi Tomás Correia a falar e parecia que estava a ouvir Ricardo Salgado"

Tomás Correia deixou em entrevista críticas a Marques Mendes. O comentador respondeu.

"Ouvi Tomás Correia a falar e parecia que estava a ouvir Ricardo Salgado"
Notícias ao Minuto

23:40 - 17/03/19 por Pedro Filipe Pina 

Economia Marques Mendes

Durou semanas, a discussão em torno de quem compete avaliar a idoneidade de Tomás Correia, que foi multado em 1,5 milhões de euros pelo Banco de Portugal pelo período em que foi presidente do Banco Montepio.

Entretanto, na passada, quinta-feira, foi aprovado em Conselho de Ministros um decreto-lei, promulgado poucas horas depois por Marcelo Rebelo de Sousa, que estabelece que cabe à Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) avaliar questões como a idoneidade dos presidentes de associações mutualistas, como é o caso de Tomás Correia, que preside à Associação Mutualista Montepio.

Questionado no seu espaço de comentário na SIC sobre se a legislação agora aprovada foi feita “à medida de Tomás Correia”, Marques Mendes foi perentório: “Não. É uma lei geral e abstrata e que se aplica a todas as mutualistas”. “O governo cumpriu e está de parabéns”, apontou, reservando ainda um elogio à promulgação “super-sónica” de Marcelo Rebelo de Sousa.

Ao regulador – a ASF – compete agora “uma decisão rápida, porque esta novela já se arrasta há tempo demais”. Seja essa decisão “favorável ou não” a Tomás Correia.

Após os elogios, o comentador, no entanto, tinha duras críticas a fazer.

Sobre as declarações de Vítor Melícias, o presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Associação Mutualista, que afirmou esta semana que “não é um secretariozeco ou um qualquer ministro que vai afastar os órgãos sociais democraticamente eleitos”, Marques Mendes considerou que foram declarações “infelizes”. “Na igreja também não há padres e padrecos. Há padres. Ponto final. Acho que era mais recomendável uma linguagem mais digna e menos de taberna”.

Sobre a mudança, Marques Mendes realçou ainda que um Governo não poderia impor mudanças. “Mas pode a lei e ninguém num Estado de Direito está acima da lei”.

A finalizar, o comentador reservou ainda algumas palavras mais duras para Tomás Correia. 

Este domingo, foi publicada a segunda parte de uma entrevista Dinheiro Vivo/TSF ao líder da associação mutualista onde este acusa Marques Mendes de ter falado “à socapa de fraude”.

Ouvi a entrevista e parecia que estava a ouvir Ricardo Salgado”, retorquiu o antigo líder ‘laranja’. “É o mesmo estilo, as mesmas habilidades, a mesma escola. Eu disse aqui há uma semana, e volto a reafirmar: Se Tomás Correia for definitivamente condenado a pagar uma coima, tal como o Banco de Portugal decretou, e se isso for pago pelo banco [Montepio] é uma fraude. Porquê? Por uma razão que toda a gente percebe: a condenação é ao próprio, não é à instituição”, rematou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório