Meteorologia

  • 25 MARçO 2019
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Produtores esperam mais provas e vendas na maior feira de vinhos europeia

As empresas portuguesas estão cada vez mais interessadas em participar na ProWein, mas o espaço limitado da maior feira de vinhos europeia obriga a que o número se fixe nas 379 que esperam, nesta edição, mais provas e vendas.

Produtores esperam mais provas e vendas na maior feira de vinhos europeia
Notícias ao Minuto

09:22 - 15/03/19 por Lusa

Economia ProWein

A presença portuguesa na 25.ª edição da ProWein, que se realiza em Düsseldorf, de domingo a terça-feira, é idêntica àquela registada nos dois últimos anos, porque a feira "está muito condicionada do ponto de vista de espaço", revelou o presidente da Organização Interprofissional do Vinho de Portugal, ViniPortugal, Jorge Monteiro.

"Não podemos aumentar a área. Infelizmente há empresas que gostavam de estar nesta edição e não tiveram lugar e há empresas que gostavam de ter uma presença mais forte, com mais metros quadrados, mas não viram a sua pretensão contemplada. Há um crescente interesse, mas que não é satisfeito porque estamos limitados do ponto de vista do espaço", explicou em declarações à agência Lusa.

No ano passado, a Alemanha foi o quinto mercado de destino dos vinhos portugueses. Comprou e importou cerca de 50 milhões de euros, com um crescimento de 7,8% devido, sobretudo, aos vinhos de mesa, que representam 35 milhões desse total.

"O mercado alemão é muito caracterizado pelo preço baixo, ainda assim é muito importante para todos os vinhos de origem portuguesa, já que apresentou um crescimento no ano passado. No longo prazo não se pode dizer que vá crescer indefinidamente, mas para nós é importante subir os preços médios", sublinhou o presidente da ViniPortugal.

Para Jorge Monteiro, a ProWein é a "maior feira de vinhos da Europa e muito provavelmente a maior do mundo", uma montra internacional, mas também um espaço "onde se fazem negócios, se provam vinhos e se fazem logo encomendas, apesar de não ser esse o objetivo".

"O grande objetivo é que os produtores regressem com boas perspetivas de negócios para 2019. Na Prowein costumam ser feitos sempre inquéritos das tendências no mercado mundial de vinho e Portugal vem surgindo cada vez mais em destaque. Gostaríamos que, nesses inquéritos, se mantivesse essa tendência de ganho de notoriedade e de uma preferência crescente dos visitantes na procura de vinhos portugueses", frisou.

Para esta 25.ª edição da ProWein estão inscritas 379 empresas, 150 das quais no âmbito da ViniPortugal, que tem prevista, durante a feira, a realização de 17 eventos paralelos, principalmente conferências e 'workshops'.

O setor dos vinhos fechou o ano de 2018 a crescer 3% em valor, chegando aos 803 milhões de euros de exportação.

"Um crescimento melhor que o de Espanha, da França e da Austrália, mas abaixo da nossa expectativa e da nossa ambição. Dois mercados condicionaram muito os resultados: o mercado de Angola que continua a cair, desceu praticamente 14% no ano passado, e o mercado da China que estagnou, assim como o da Rússia", destacou Jorge Monteiro.

A ProWein decorre de domingo a terça-feira, na cidade de Düsseldorf. No ano passado teve 60 mil visitantes.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório