Meteorologia

  • 19 FEVEREIRO 2019
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 13º

Edição

Em 2018, investimento ficou 1.180 milhões abaixo do previsto

O investimento cresceu 4,7% em 2018, excluído da despesa com concessões, "substancialmente abaixo da taxa de variação permitida pelo OE2018", de 48,3%, o que corresponde a um desvio de 1.180 milhões de euros, segundo a UTAO.

Em 2018, investimento ficou 1.180 milhões abaixo do previsto
Notícias ao Minuto

20:16 - 13/02/19 por Lusa

Economia OE2018

Numa análise sobre a execução orçamental do conjunto de 2018 em contabilidade pública, a UTAO indica que "para este resultado, contribuíram os reduzidos graus de execução de despesa em investimento na empresa Infraestruturas de Portugal (excluindo concessões) e no setor da Saúde, com níveis de 45% e 44%, respetivamente, os quais correspondem a desvios nominais de 160 milhões de euros e 168 milhões de euros".

A UTAO indica também que, apesar de dotados com "montantes significativamente inferiores, merecem nota as taxas de execução abaixo de 50% em inúmeras áreas", nomeadamente, 32% no Ensino Não-Superior, 39% na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, 46% no Metro do Porto, 17% na EDIA, 26% nos Programas Pólis.

De acordo com os técnicos que apoiam o parlamento, o relatório que acompanhou a proposta do Orçamento do Estado para 2019 estabeleceu uma redução de 17,2% na previsão de investimento (4.541 milhões de euros na estimativa contra 5.485 milhões de euros no OE2018 aprovado).

"Ainda assim, a execução de 2018 situou-se abaixo da estimativa revista, embora o desvio tenha sido, naturalmente, menor (231 milhões de euros)", refere a UTAO.

A UTAO indica também que no conjunto das Administrações Públicas, tanto o crescimento da receita como o da despesa foram inferiores aos previstos no Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), "sendo que o desvio foi mais significativo do lado da despesa".

A despesa efetiva apresentou um desvio de 2.463 milhões de euros em 2018, já que estava orçamentado um crescimento de 6.075 milhões de euros, sendo que a execução ficou em 3.612 milhões de euros.

Na receita o crescimento previsto no OE2018 foi de 5.409 milhões de euros, sendo que a execução provisória se fixou em 4.374 milhões de euros, um desvio de menos 1.035 milhões de euros face à meta inicial.

A análise dos peritos revela ainda que o Ministério das Finanças gastou 1.898 milhões de euros das dotações para fazer face a riscos orçamentais do total disponível de 3.002 milhões de euros.

A dotação provisional de 495 milhões de euros foi usada na totalidade, tendo como principal finalidade o reforço das despesas com pessoal do ensino básico e secundário e administração escolar, no valor de 353,9 milhões de euros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório