Meteorologia

  • 24 MAIO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 16º

Edição

Douro ajudou a abrir o mapa turístico de Portugal e duplicou dormidas

A secretária de Estado do Turismo afirmou hoje que o Douro ajudou a abrir o mapa turístico de Portugal e revelou que, em seis anos, o território duplicou o número de dormidas e quadruplicou os visitantes estrangeiros.

Douro ajudou a abrir o mapa turístico de Portugal e duplicou dormidas
Notícias ao Minuto

14:58 - 14/12/18 por Lusa

Economia Turismo

"O Douro é também um exemplo daquilo que tem acontecido em Portugal, da capacidade de abrirmos o mapa turístico de Portugal com base naquilo que o país tem de único, do seu património natural e cultural, da gastronomia e enoturismo", afirmou Ana Mendes Godinho.

O turismo estava, referiu, "centralizado no Litoral" e, nos últimos anos, tem-se dispersado por todo o território.

A governante falava à margem da cerimónia evocativa dos 17 anos da classificação do Alto Douro Vinhateiro (ADV)como Património Mundial da UNESCO que decorreu em Santa Marta de Penaguião, distrito de Vila Real.

A classificação trouxe reconhecimento, visibilidade, mais investimento e turistas ao território.

Ana Mendes Godinho disse, precisamente, que o Douro é "um exemplo de uma região que tem conseguido cada vez mais afirmar-se turisticamente" e referiu que, nos últimos dois anos, foi palco para 28 novos projetos de enoturismo, num investimento de 40 milhões de euros.

"O que mostra bem a dinâmica do território", frisou.

A secretária de Estado destacou ainda o número de dormidas nos 19 concelhos que integram a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro.

De acordo com a responsável, em 2012 foram registadas 189 mil dormidas, das quais 28 mil correspondiam a visitantes estrangeiros.

Em 2017, foram contabilizadas 393 mil dormidas e destas 164 mil correspondem a estrangeiros.

"As dormidas turísticas no Douro duplicaram, mas, mais interessante ainda, é que a nível de procura estrangeira, o número quadruplicou. Significa que também estamos a conseguir por o Douro no mapa da procura internacional", salientou.

Para a governante, a marca UNESCO "é poderosíssima".

"As motivações dos turistas são também, cada vez em mais, em função de marcas (...). Aliás, há vários mercados, como por exemplo o mercado chinês, em que um dos seus principais motivos de viagens tem a ver com o património classificado", frisou.

Ana Mendes Godinho referiu, no entanto, que "há ainda muito a fazer" e que "há um espaço enorme para afirmar cada vez mais o Douro", um território onde diz que é preciso ajudar a fixar os jovens.

Hoje foi apresentado o balanço da iniciativa "Somos Douro", lançada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), e as conclusões de uma sondagem realizada a jovens da região sobre quais são as suas expectativas.

A sondagem teve em conta os cerca de 42 mil jovens que existem nos 19 concelhos da Douro, com idades compreendidas entre os 15 e os 34 anos, e envolveu uma amostra de 381 pessoas para uma reflexão sobre o que motiva este grupo a permanecer no Douro ou a fixar-se noutro destino.

De acordo com o estudo, mais de 73% dos jovens durienses inquiridos imagina-se a residir na região do Douro três anos após o estudo e as principais motivações dos que pretendem sair estão relacionadas com o desejo de estudar fora e a procura por melhores oportunidades profissionais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório