Meteorologia

  • 19 ABRIL 2019
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Wall Street fecha sessão encurtada em baixa com queda do petróleo

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, depois de uma sessão encurtada pelas celebrações do Dia de Ação de Graças, sob o efeito da desvalorização das cotações do petróleo, que precipitou a queda das empresas do setor.

Wall Street fecha sessão encurtada em baixa com queda do petróleo
Notícias ao Minuto

19:57 - 23/11/18 por Lusa

Economia Bolsa

Os resultados definitivos da sessão indicam que o seletivo Dow Jones Industrial Average recuou 0,73%, para os 24.285,95 pontos.

Mais fracos, mas em perda na mesma, foram os desempenhos do tecnológico Nasdaq, que baixou 0,48%, para as 6.938,98 unidades, e do alargado S&P500, que cedeu 0,66%, para as 2.632,56.

As empresas ligadas à indústria petrolífera tiveram hoje um dia negativo, com fortes perdas, como a ExxonMobil (2,67%), Chevron (3,38%), ConocoPhillips (2,57%) e Schlumberger (2,67%).

Estas quebras acentuadas de cotação resultaram das prévias evoluções similares das cotações do barril de petróleo.

Nas praças londrina e nova-iorquina, o barril de crude chegou a estar a perder mais de 5& durante a sessão, com o Brent a cotar mesmo abaixo dos 60 dólares pela primeira vez desde há mais de um ano.

"O declínio dos preços do petróleo é inquietante porque significa que a economia mundial está a enfraquecer e que pode mesmo assistir a uma recessão", admitiu Peter Cardillo, da Spartan Capital, referindo-se às inquietações com a descida da procura mundial de petróleo.

Da Europa à Ásia, numerosos países estão confrontados com uma diminuição da sua atividade e, portanto, com a diminuição das suas necessidades de energia para produzir.

Acresce que a guerra comercial entre os Estados Unidos da América (EUA) e a China faz recear um agravamento desta perda de ritmo à escala internacional, na medida em que as duas maiores economias mundiais estão a penalizar-se mutuamente com a imposição mútua de tarifas alfandegárias.

Do lado da oferta, a produção dos EUA está em níveis recorde, o que, complementado com uma produção abundante dos outros principais produtores, faz recear um excesso de produto.

Neste contexto, o 'cocktail' entre redução do volume das transações, devido ao feriado nos EUA, e inquietações aumentadas, conduziu a uma subida da volatilidade dos índices bolsistas.

No conjunto da semana, o Dow Jones perdeu 4,44%, o Nasdaq recuou 4,26% e o S&P500 cedeu 3,75%.

Hoje, os investidores também estiveram com atenção aos grandes grupos de comércio retalhista norte-americanos que, com exceção da Walmart, que avançou 0,99%, fecharam com perdas, nomeadamente Macy's (1,78%), Target (2,76%) e J.C. Penney (0,76%), quando decorrem os saldos monstros da "Sexta-feira Negra", durante a qual são esperadas vendas recorde através da internet.

"A subida do comércio em linha afetou os operadores tradicionais do mercado e os investidores vão vigiar a capacidade de resiliência do setor", indicou David Madden, da CMC Markets.

Porém, a Amazon, empresa incontornável do comércio eletrónico, fechou em baixa, de 0,97%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório