Meteorologia

  • 19 ABRIL 2019
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 18º

Edição

Criptomoedas "não são moeda coisa nenhuma"

O ex-vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vítor Constâncio, afirmou hoje que "não há verdadeiramente moeda sem um poder estatal por trás", sublinhando que as criptomoedas "não são moeda coisa nenhuma".

Criptomoedas "não são moeda coisa nenhuma"
Notícias ao Minuto

21:32 - 22/11/18 por Lusa

Economia Vítor Constâncio

O economista e ex-governador do Banco de Portugal falava durante uma conferência no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), em Lisboa, sobre 'Guerras Cambiais no século XXI'.

Vítor Constâncio, que falava sobre a participação das diferentes moedas nas reservas oficiais dos países, considerou que neste campo não há lugar a "nenhumas coisas chamadas 'cryptocurrencies', que não são moeda coisa nenhuma".

As criptomoedas "nunca terão qualquer hipótese de ter essa visibilidade", reforçou o economista.

"A moeda privada foi tentada no século XIX em muitos países, acabou sempre por não funcionar e gerar crises recorrentes e por razões que também se compreendem estudando a história monetária desde outros séculos não há verdadeiramente moeda sem um poder estatal por trás e, em última análise, o poder de taxar os cidadãos", afirmou.

Em Portugal, o Banco de Portugal (BdP) e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) têm feito diversos alertas para os riscos relacionados com 'bitcoin' ou outras moedas virtuais, como são designadas.

O BdP também já recomendou às instituições de crédito, às instituições de pagamento e às instituições de moeda eletrónica sujeitas à sua supervisão que se abstenham de comprar, deter ou vender moedas virtuais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório