Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2018
Tempo
MIN 8º MÁX 8º

Edição

Moody's sobe 'rating' de bancos portugueses

A Moody's subiu hoje o 'rating' de várias instituições bancárias portuguesas, poucos dias depois de ter tirado Portugal do "lixo", avançou a agência em comunicado.

Moody's sobe 'rating' de bancos portugueses
Notícias ao Minuto

17:21 - 16/10/18 por Lusa

Economia Agência

Assim, a agência resolveu subir o 'rating' da Caixa Geral de Depósitos (CGD) em dois níveis. Os depósitos a longo prazo e a dívida sénior sem garantia subiram de 'Ba3' para 'Ba1', com um 'outlook' (perspetiva) estável.

No caso do BCP, a Moody's melhorou o 'rating' dos depósitos de longo prazo para 'Ba3', quando estava em 'B1', com um 'outlook' positivo, o que reflete uma subida de um nível.

A agência subiu ainda o 'rating' do BPI, com os depósitos de longo prazo a passarem de 'Baa3' para 'Baa1', com um 'outlook' "entre o estável e o positivo", disse a Moody's. O banco, em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), adiantou ainda que a agência "subiu hoje em dois níveis a notação de rating da dívida de longo prazo do Banco BPI, de Ba1 para Baa2, atingindo a classificação de investimento ('investment grade')".

O banco Santander Totta viu a sua pontuação melhorar de 'Baa3' para 'Baa2' no que diz respeito aos depósitos de longo prazo.

Por sua vez, o Montepio manteve a notação dos depósitos a longo prazo em 'B3', com uma mudança de 'outlook' para positivo.

A Moody's colocou ainda em revisão para 'upgrade' os depósitos de longo prazo do Novo Banco, que estão em 'Caa1'.

Em consequência desta avaliação, a agência de 'rating' norte-americana alterou o perfil macro de Portugal para "Moderado", sendo que estava em "Moderado-", tendo em conta, sobretudo, "a melhoria no ambiente em que os bancos portugueses operam, em particular no que diz respeito à força económica do país".

A Moody´s levou em conta o progresso continuado na 'performance' de vários bancos, que se refletiu na melhoria dos 'ratings' anunciada hoje.

No dia 12 de outubro, a agência de notação subiu o 'rating' de Portugal para 'Baa3', com perspetiva estável, retirando o país do 'lixo'.

Em julho de 2014, a agência de 'rating' norte-americana tinha atribuído a Portugal a notação 'Ba1', e era a única entre as quatro maiores agências a atribuir à dívida pública portuguesa uma nota especulativa, quando já a Standard & Poor's (S&P), a Fitch e a DBRS tinham colocado o país no patamar de investimento.

Para a subida do 'rating', a Moody's apresenta duas razões: "a elevada dívida pública de Portugal tem evoluído para uma tendência de queda sustentável, embora gradual, com limitados riscos de reversão", o "alargamento dos 'motores' de crescimento de Portugal e uma melhoria da posição externa", que "aumentaram a resiliência económica".

A perspetiva estável de Portugal reflete um "equilíbrio dos riscos a nível mais elevado da notação", segundo a Moody's.

Embora uma continuação das condições externas favoráveis possa suportar as previsões da Moody's, uma eventual moderação nas perspetivas de crescimento poderá refletir restrições estruturais na economia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório