Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 19º

Edição

Inovação no consumo poderia ter gerado mais mil milhões de PIB

A introdução de inovação no setor do grande consumo em Portugal poderia ter gerado um PIB adicional de 1.000 milhões de euros entre 2013 e 2016, segundo um estudo da consultora KPMG hoje divulgado.

Inovação no consumo poderia ter gerado mais mil milhões de PIB
Notícias ao Minuto

08:06 - 12/10/18 por Lusa

Economia KPMG

De acordo com os dados da consultora, se a tendência verificada em Espanha tivesse ocorrido em Portugal, poderia ter havido um aumento adicional de receitas para o setor de cerca de 2.000 milhões de euros e um potencial gerador de emprego associado à inovação na ordem dos 26.600 postos de trabalho.

“Apesar do impacto positivo gerado, particularmente em algumas categorias de produto, a inovação não é ainda um ‘driver’ de procura global do setor, em Portugal, de forma distinta do que aparece em Espanha onde, em média, a introdução de uma inovação gera um aumento da procura de aproximadamente 1,4%”, lê-se no documento.

Segundo o estudo “Avaliação do Impacto Económico na Inovação do setor dos ‘Fast Moving Consumer Goods’", em Portugal, 76% das inovações aplicadas no setor em causa falham logo no ano de lançamento.

Por outro lado, a aposta na inovação apresenta riscos ao exigir das marcas do setor um investimento de 4% das suas receitas em novos produtos, bem como o envolvimento de 6% dos seus colaboradores nos processos.

Por produto em que a aposta é maior, os iogurtes (7), os produtos de cabelo (5) e os refrigerantes sem gás (3) são os que apresentam maior número de inovações relevantes.

“Um mercado dinâmico e positivo precisa de inovação contínua, que seja suficientemente disruptiva e capaz de adicionar valor. Há um alargado consenso sobre como a inovação é um fator muito positivo para quem a promove, para os vários elos da cadeia e para o mercado como um todo”, disse, no mesmo comunicado, o presidente da Centromarca, Nuno Fernandes Thomaz.

O responsável defendeu ainda que “um crescimento sustentado do mercado deve assentar numa inovação forte e duradoura, com o objetivo de proporcionar mais escolhas para os consumidores, maior qualidade dos produtos e mais competitividade no mercado”.

Fundada em 1994, a Centromarca reúne 51 associados que detém mais de 1.100 marcas, que em conjunto representam um volume de vendas anual no mercado nacional de cerca de 6.500 milhões de euros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório