Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

Execução orçamental: Défice melhorou para 576 milhões até agosto

Melhoria do saldo orçamental é explicada por um crescimento da receita superior ao da despesa.

Execução orçamental: Défice melhorou para 576 milhões até agosto
Notícias ao Minuto

16:03 - 25/09/18 por Beatriz Vasconcelos 

Economia Finanças

A execução orçamental em contabilidade pública das Administrações Públicas (AP) registou até agosto um défice global de 576 milhões de euros, o que representa uma melhoria de 1.424 milhões face ao mesmo período do ano passado, anunciou o gabinete do Ministério das Finanças, esta terça-feira.

A melhoria do saldo global é explicada por um crescimento da receita (5,1%) superior ao aumento da despesa (2,2%), explicou a tutela, "ainda condicionada pelo fim do pagamento dos duodécimos do subsídio de natal a funcionários públicos e pensionistas", acrescentou. 

Porém, saliente-se, esta evolução não inclui a despesa de 913 milhões que diz respeito à "injeção de 792 milhões no capital do Novo Banco e ao pagamento de 121 milhões aos lesados do BES pelo fundo de recuperação de créditos", explica o gabinete de Mário Centeno. Essa despesa será considerada para o défice orçamental em contas nacionais. 

Mercado de trabalho ajuda receita

A receita fiscal do subsetor Estado cresceu 5% até agosto, para a qual contribuiu em grande medida o aumento da receita líquida do IVA (3,9%), do IRC (11,9%) e IRS (4,4%). "A receita fiscal e contributiva beneficiou ainda do comportamento do mercado de trabalho, visível no crescimento de 7,1% das contribuições para a Segurança Social", pode ler-se no comunicado do Fisco ao qual o Notícias ao Minuto teve acesso. 

Deste modo, a receita fiscal e contributiva "beneficiou" do comportamento do mercado de trabalho, que se refletiu no crescimento de 7,1% das contribuições para a Segurança Social. 

Já a despesa das AP cresceu 2,2%, um aumento explicado pelo "aumento da despesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS), atingindo máximos pré-troika, e das prestações sociais, em particular com a prestação social para a inclusão", destacou a tutela. 

Pagamentos em atraso nos hospitais públicos diminuem 130 milhões

O Ministério das Finanças deu ainda conta de que os pagamentos em atraso caíram 100 milhões face a igual período do ano anterior. A tutela prevê que "esta redução dos pagamentos em atraso se acentue ainda mais nos próximos meses", salientou.

[Notícia atualizada com mais informação às 16h15]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório