Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Wall Street fecha sem rumo perante tensões comerciais

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje sem rumo definidos, com os investidores a acusarem as tensões comerciais sino-norte-americanas e a descida das cotações do petróleo, após três sessões de subida dos principais índices.

Wall Street fecha sem rumo perante tensões comerciais
Notícias ao Minuto

22:50 - 08/08/18 por Lusa

Economia Bolsa

Os resultados definitivos da sessão indicam que o seletivo Dow Jones Industrial Average recuou 0,18%, para os 25.583,75 pontos.

Da mesma forma, o alargado S&P500 perdeu 0,03%, para as 2.857,70 unidades, mas o tecnológico Nasdaq valorizou 0,06%, para as 7.888,33.

Este índice apresenta assim uma série de sete sessões consecutivas de ganhos, enquanto o S&P500 interrompeu uma série de quatro sessões de valorização e o Dow Jones pôs um fim a três sessões seguidas de avanços.

"Quando a época dos resultados está a acabar, os mercados parecem estar sem razões para continuar a progredir", estimou Adam Sarhan, da 50 Park Investment.

Os valores do setor da energia sofreram hoje em particular, com os preços do petróleo a caírem de forma acentuada.

Grandes nomes do setor encerraram com quedas visíveis, como a Chevron (-1,04%) ou a ExxonMobil (-0,66%), tal como empresas ligadas a esta atividade, como a Schlumberger (-0,40%) ou a Cimarex (-8,62%), esta última afetadas sobretudo pela apresentação de resultados trimestrais que dececionaram os investidores.

Os índices sofreram também com a troca de nova série de anúncios de sanções entre Washington e Pequim.

A China anunciou hoje que vai impor direitos alfandegários, de 25%, a importações norte-americanas no montante de 16 mil milhões de dólares suplementares, aplicando a sua estratégia de 'olho por olho', em reação a uma medida similar do governo de Donald Trump anunciada na véspera.

"As incertezas comerciais ainda pesam. Mas é importante notar que os movimentos de vendas associados à guerra (comercial) entre os dois países são cada vez mais fracos e cada vez mais curtos. Por vezes, transformam-se mesmo em oportunidades de compras", observou Karl Haeling, de LBBW.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório