Meteorologia

  • 20 JULHO 2018
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Sindicato alerta pressão no recrutamento de 20 mil professores em Angola

O Sindicato dos Professores Angolanos (Sinprof) denunciou hoje alegadas pressões dos governos provinciais no processo de recrutamento de 20.000 docentes, que decorreu terça-feira, em todo o país, com o objetivo de "acomodar pessoas sem qualificação para docência".

Sindicato alerta pressão no recrutamento de 20 mil professores em Angola
Notícias ao Minuto

14:34 - 11/07/18 por Lusa

Economia Luanda

A situação foi relatada hoje à Lusa pelo presidente do Sinprof, Guilherme Silva, que apesar de apontar "algumas melhorias" em comparação com os concursos anteriores, apela aos governos provinciais para "não se arrogarem em enviar cartões e papelinhos ao corpo de júri".

"Estamos a sentir, em algumas províncias, interferências dos governos provinciais e apelamos a esses governos que não pressionem os corpos de júri. Deixem-nos trabalhar de forma autónoma e no final que de facto sejam apurados dos melhores e capazes de corresponder para o exercer o magistério", disse.

Adiantou que a pressão que afirma existir "é no sentido de acomodar algumas pessoas que não têm a qualificação para docência", e assim "tentando inserir indivíduos para a categoria de professores auxiliares, que não existe".

O concurso público no setor da Educação em Angola para o recrutamento de mais 20.000 professores para todo o país decorreu, terça-feira, com cerca de 140.000 candidatos, ocasião em que a ministra do setor, Maria Cândida Teixeira, anunciou que a partir de 2019 o recrutamento para novos docentes "será anual".

Em Luanda, surgiram reclamações por parte de alguns candidatos, sobretudo em relação ao "início tardio das avaliações" e ainda "insuficiência de enunciados" para o efeito.

Guilherme Silva, refere porém, que o Sinprof está atento ao evoluir deste processo, cujos resultados devem ser divulgados na sexta-feira.

Ainda assim observou que em anos anteriores os concursos eram "eivados de vícios em compadrios, nepotismo, cabritismos e ?envios de listas'".

De visita à província angolana do Cuando-Cubango, para a abertura formal do processo de recrutamento de novos docentes para o ensino geral, esta semana, a ministra apelou ao júri para ter "lisura e transparência", no sentido de "aprovarem apenas os melhores candidatos".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.