Meteorologia

  • 18 SETEMBRO 2018
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 22º

Edição

CTT vão ter de baixar preços por falhas na qualidade do serviço

Esta medida terá de ser implementada até ao dia 1 de outubro e terá de durar, pelo menos, três meses.

CTT vão ter de baixar preços por falhas na qualidade do serviço
Notícias ao Minuto

15:55 - 25/06/18 por Beatriz Vasconcelos 

Economia ANACOM

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) anunciou, esta segunda-feira, que os CTT vão ter que reduzir em 0,085 pontos percentuais os preços em vigor este ano, por terem falhado os indicadores de qualidade do serviço postal universal.

"Os CTT vão ter que reduzir em 0,085 pontos percentuais os preços em vigor em 2018, por terem falhado o cumprimento de dois indicadores de qualidade do serviço postal universal. Nos termos da decisão da ANACOM, adotada depois da audiência prévia ao prestador do serviço postal universal, estes novos preços terão que estar em vigor pelo menos durante 3 meses", pode ler-se no comunicado do regulador. 

Em causa, explica a ANACOM, estão dois indicadores de qualidade do serviço postal universal que em 2017 não foram cumpridos. São eles: "Demora de encaminhamento no correio azul no Continente; Demora no encaminhamento no correio transfronteiriço intracomunitário", refere a ANACOM. 

Esta decisão, diz o regulador, terá de ser implementada pelos CTT até 1 de outubro de 2018 e pelo período mínimo de 3 meses.

Este é o segundo ano consecutivo em que os CTT não conseguem cumprir a totalidade dos 11 indicadores de qualidade do serviço postal universal a que estão obrigados, segundo a ANACOM.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório